Especialidades

16/02/2015 03:19 - Atualizado em 04/12/2016 06:06

Entenda o que é o pneumotórax e como tratá-lo

O pneumotórax pode causar dificuldade respiratória, falta de ar e outras complicações.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O pneumotórax é o acúmulo anormal de ar entre o pulmão e a pleura, uma membrana que reveste a parede interna do tórax. O problema pode causar dificuldades para respirar e levar a outras complicações cardiorrespiratórias. Existem diferentes tipos da doença, e o tratamento é indicado de acordo com a gravidade de cada caso.

pneumotorax

O que é pneumotórax

Quando ocorre o acúmulo de ar, o pulmão perde a capacidade de se encher totalmente. O ar que entra pela traqueia sai em direção ao tórax, o que pode acabar comprimindo o pulmão e causando dificuldade para respirar. Em casos mais graves, o pneumotórax pode acabar deslocando o coração, levando a alterações nos batimentos cardíacos e até à morte.

A enfermidade é classificada como espontânea, traumática, infecciosa ou iatrogênica. Na espontânea, ela pode ou não estar associada a uma doença pulmonar, como enfisema. Já a traumática é quando a doença é resultado de um traumatismo na região do tórax, como ferimentos por faca, tiro de arma de fogo ou pancada de atropelamento.

O pneumotórax infeccioso ocorre devido a infecções pulmonares graves, como pneumonia ou tuberculose. No caso de iatrogênico, o problema surge como resultado de algum procedimento médico, que pode ocorrer após a tentativa de se acessar uma veia do tórax ou do pescoço, por exemplo.

Os sintomas mais comuns são dor torácica - que é aguda como uma pontada, persistente e no lado afetado do tórax - e uma tosse seca e irritativa, podendo piorar a falta de ar. Além disso, outros sinais são respiração rápida, falta de ar, agitação, cansaço fácil e a aceleração dos batimentos cardíacos.

A ocorrência desses sintomas pode variar, dependendo do tamanho e da gravidade do pneumotórax, ou seja, do volume de ar acumulado no espaço pleural. As principais causas são doenças pulmonares obstrutivas (asma, enfisema pulmonar e bronquite crônica), traumas torácicos, infecções graves do pulmão (pneumonia ou tuberculose) e tumores.

Tratamentos e prevenção do pneumotórax

O tratamento é feito a fim de remover o ar do espaço pleural, permitindo a expansão do pulmão e evitando que a doença volte a ocorrer. O método é definido pelo médico de acordo com a causa e também com a gravidade dos sintomas, que são diagnosticados com a análise de uma radiografia do tórax.

Num pneumotórax pequeno, ocorre uma regressão espontânea em até duas semanas, demandando apenas acompanhamento médico. Já em casos maiores, é necessário fazer tratamentos como colocação de um dreno no tórax ou aspiração por agulha. Ainda existe a alternativa de fazer uma cirurgia para a correção.

A principal maneira de prevenir a doença é evitar o tabagismo, pois fumar pode causar bolhas de enfisema e, consequentemente, pneumotórax e câncer de pulmão. Os pacientes que já tiveram a doença têm entre 40% e 50% de chances de desenvolver um novo episódio. Por isso, os cuidados devem ser redobrados.

Aprendeu mais sobreo assunto? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para conferir dicas de saúde e ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
pulmão
problemas respiratórios
diagnóstico
cirurgia

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ