Especialidades

12/07/2015 01:05 - Atualizado em 30/11/2016 10:36

DORT: Esforço repetitivo no trabalho causa distúrbios

Dor, formigamento e sensação de fadiga são alguns dos sintomas desses distúrbios.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT) são apenas um dos males que atingem os profissionais em decorrência de suas atividades. Geralmente, são causados por trabalho realizado em uma posição fixa ou com movimentos repetitivos, principalmente de membros superiores.

A consequência desse esforço é a fadiga, decorrente de ritmo elevado de trabalho. O quadro clínico inclui dor, formigamento, dormência, choque e sensação de peso. Entenda mais sobre as doenças ocupacionais e como se prevenir delas.

Sintomas dos DORT

As lesões por esforços repetitivos (LER) e os DORT estão entre as principais causas de afastamento do trabalho em razão de problemas de saúde, no Brasil. As partes do corpo mais afetadas são mãos, punhos, antebraço, cotovelos, braços, ombros, escápula e pescoço.

dort

Na maior parte dos casos, o sintoma mais frequente e característico é a dor. Com o passar do tempo, ela se torna intensa e contínua, passando a prejudicar a produtividade e o sono do trabalhador.

A partir dos sintomas, as LER/DORT são classificadas em diferentes graus. A cura depende do diagnóstico precoce e do efetivo tratamento.

Quando atingem o grau 1, as LER/DORT causam sensação de peso e desconforto nos membros atingidos. Também ocorre dor espontânea no local, com pontadas ocasionais durante a jornada de trabalho, mas ainda sem potencial para interferir na produtividade. A dor é leve e desaparece quando a pessoa repousa.

A partir do grau 2, a situação começa a ficar mais grave. Além de mais intensa, a dor aparece de forma contínua, durante a jornada de trabalho, acompanhada de formigamento e calor, além de leves distúrbios de sensibilidade.

Embora tolerável, permitindo o desempenho de atividade, a dor afeta o rendimento nos períodos de maior esforço. Além disso, ela também ocorre no desempenho de tarefas domésticas.

No grau 3, a dor se torna mais persistente, forte e com irradiação definida. O repouso só diminui a intensidade, nem sempre fazendo-a desaparecer por completo. Além disso, a dor aparece mais vezes fora da jornada, especialmente à noite, resultando em perda de força muscular e queda de produtividade.

Já no grau 4, a dor forte, contínua e, muitas vezes, insuportável, leva o trabalhador a um intenso sofrimento. Estendendo-se a todo o membro afetado, ela se acentua com os movimentos, aparecendo até mesmo nos momentos em que o membro é imobilizado.

Nesses casos, há perda de força e de controle dos movimentos, acompanhada de inchaço e deformidades, como atrofias nos dedos.

Prevenção dos DORT

A prevenção dos DORT pode ser feita de diversas maneiras. A principal delas são as modificações ergonômicas dos postos de trabalho, com o uso de ferramentas e equipamentos ergonomicamente adaptados ao trabalhador.

Diminuir o ritmo de trabalho e dar pausas para o descanso é outra medida. Também se sugerem a diversificação de tarefas e a manutenção de um clima saudável no ambiente de trabalho, em que as queixas dos colaboradores sejam levadas em consideração.

O tratamento dos DORT costuma se centrar na principal queixa ou sintoma. Em casos mais críticos, simplesmente melhorar as condições de trabalho pode não ser suficiente. Muitas vezes, o uso de medicamentos, sessões de fisioterapia e até mesmo cirurgia podem ser indicados.

Você sente dores durante o trabalho? Pode ser hora de procurar ajuda. Não deixa de nos contar o que você achou do artigo! E continue acompanhando o Vivo Mais Saudável para conferir mais dicas de saúde.

TAGS
ler
esforço no trabalho
movimentos repetitivos
dor na mão

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ