Especialidades

08/06/2015 04:19 - Atualizado em 06/12/2016 06:52

Coceira e inchaço nos olhos podem ser tracoma

A doença deve ser combatida nos primeiros sintomas, pois pode causar a perda progressiva da visão.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Sentir muita coceira nos olhos, acompanhada de inchaço nas pálpebras e vermelhidão, pode ser sinal de uma infecção. Na fase inicial, o caso costuma ser confundido com a conjuntivite, mas, quando o incômodo se torna mais intenso e causa outros sintomas, é caracterizado como tracoma.

Essa doença causada por bactérias é altamente contagiosa e exige uma série de cuidados com a higiene para evitar a transmissão. É importante procurar a ajuda de um médico desde os primeiros sinais, seguindo assim um tratamento adequado e evitando complicações do problema, que pode levar à cegueira do paciente.

Principais causas do tracoma

O tracoma é uma doença inflamatória que atinge os olhos, afetando a córnea e a conjuntiva. Provocada pela bactéria Chlamydia trachomatis, ela é transmitida pelo contato direto com as secreções oculares, nasais ou bucais de uma pessoa infectada. A transmissão pode ocorrer por meio de objetos compartilhados, como toalhas, lenços, maquiagens, entre outros.

tracoma

A doença também é transmitida por insetos, a partir de sujeiras. Os principais vetores mecânicos são as moscas, principalmente as domésticas e as conhecidas como lambe-olhos. Elas podem transmitir a bactéria para uma pessoa sem a enfermidade se tiverem pousado sobre olhos infectados de um doente.

A incubação da bactéria pode durar de cinco a 12 dias, começando a manifestar sintomas a partir desse período.

Nas fases iniciais da doença, o paciente apresenta sinais que são comuns também à conjuntivite, tornando-se mais intensos e incômodos. Os principais sintomas são sensação de corpo estranho nos olhos, coceira, lacrimejamento, irritação, ardor, secreção, olhos avermelhados e inchaço das pálpebras.

Quando o tracoma chega a quadros mais avançados, pode haver algumas complicações, como o entrópio (margem da pálpebra voltada para dentro do olho), a triquíase (inversão dos cílios que tocam o globo ocular), a opacificação da córnea e a obstrução lacrimal.

Além disso, em casos mais graves, a doença causa cicatrizes na córnea e na conjuntiva, prejudicando a visão do paciente. Pode haver também inchaço dos nódulos linfáticos que se localizam perto dos ouvidos. O atrito provocado por essas alterações pode produzir úlceras na córnea, que provocam a perda progressiva da visão e levam à cegueira.

Como tratar e prevenir o tracoma

A principal forma de tratamento do tracoma é por meio de antibióticos, que devem ser receitados apenas por profissionais da saúde. Em geral, os medicamentos são indicados para uso local, em forma de colírios e pomadas oftálmicas, ou por via oral.

O médico deve ser consultado logo nos primeiros sinais da doença para evitar possíveis complicações e para controlar a transmissão da bactéria, prevenindo novos casos.

Alguns fatores são responsáveis por contribuir para o agravamento da doença, como, por exemplo, a reincidência de episódios do problema ou até mesmo por casos de conjuntivites bacterianas associadas.

Para prevenir o tracoma, são indicados alguns cuidados com a higiene, principalmente das crianças. As principais medidas são:

- Lavar sempre as mãos com água e sabão

- Estimular as crianças a cuidar da higiene pessoal e do ambiente

- Ter cuidado ao compartilhar objetos de uso pessoal, como material escolar e toalhas, informando que podem ser veículos de transmissão da bactéria.

Gostou das dicas de saúde? Deixe um comentário! E aproveite para conferir as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
conjuntivite
visão
inflamação
bactéria

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ