Especialidades

19/09/2015 04:17 - Atualizado em 02/12/2016 02:39

Cirurgia bariátrica pode causar síndrome de dumping

A condição faz com que os alimentos passem do estômago para o intestino de maneira muito rápida.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A cirurgia bariátrica está cada vez mais popular. Porém, o procedimento que visa ao tratamento da obesidade não está isento de riscos e efeitos colaterais. A síndrome de dumping é um deles.

Também conhecida como "esvaziamento gástrico rápido", a condição se caracteriza pela passagem dos alimentos do estômago para o intestino de maneira muito rápida, sem a devida digestão. Isso pode causar desconfortos e dores. Conheça mais sobre a síndrome e saiba como funciona o tratamento.

mulher com sindrome de dumping

Sintomas da síndrome de dumping

Dividida entre as categorias precoce e tardia, a síndrome de dumping é causada pela alteração no procedimento de armazenamento do estômago. No tipo precoce, tende a acometer o paciente de 30 a 60 minutos após a refeição, levando os alimentos ao intestino rapidamente e causando a distensão do intestino delgado.

Esse processo causa contrações no intestino e os principais sintomas são diarreia, rubor, cefaleia e mal-estar.

Já na síndrome de dumping tardia, a pessoa tende a ter sintomas entre uma e três horas após se alimentar. Há alta concentração de carboidratos no intestino, aumentando os níveis de insulina. A hipoglicemia subsequente tende a causar tremores, dificuldade de concentração e fome constante.

Considerada uma alteração física da função e não, necessariamente, uma doença, a síndrome de dumping não tem cura.

Nem todos os pacientes submetidos à cirurgia bariátrica desenvolvem a condição. Não existe uma regra geral, nem um motivo específico para a apresentação dos sintomas. Apenas após o procedimento concluído é que o paciente saberá se possui a sensibilidade para os sintomas.

sindrome de dumping infografico

Convivendo com a síndrome de dumping

Apesar do desconforto causado pela condição, os portadores da síndrome de dumping podem aprender a conviver com ela, mudando alguns hábitos para garantir uma melhor qualidade de vida.

Algumas dessas mudanças são mastigar bem os alimentos, aumentar o consumo de fibras, diminuir a ingestão de líquidos durante as refeições, evitar o consumo de açúcares e doces e comer em porções menores, porém mais vezes ao dia.

Apesar de a síndrome ser mais comum em indivíduos que passaram pela cirurgia bariátrica, algumas pessoas podem desenvolvê-la  mesmo sem passar pelo procedimento. Ao notar os sintomas, é importante procurar um médico para identificar as causas do problema e para que ele possa orientar sobre os benefícios da mudança na alimentação.

Saiba Mais
Cirurgia bariátrica em adolescentes é tendência com aumento da obesidade
Emagrecimento rápido pode indicar doenças graves
Pós-cirurgia bariátrica requer a reposição de vitaminas e minerais

Especialistas indicam que pacientes que sofram com a condição devem manter um diário alimentar, anotando o dia e o horário dos alimentos consumidos e se houve desconfortos. Assim, o paciente, junto com um profissional, poderá identificar quais são os ingredientes que causam mais desconforto e substituí-los de maneira que o corpo não fique carente de nutrientes.

Você já tinha ouvido falar nessa síndrome? O que achou do artigo? Deixe seu comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde e alimentação aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
emagrecimento
nutrição
desconforto
digestão

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ