Especialidades

05/04/2015 12:03 - Atualizado em 05/12/2016 10:52

Câncer colorretal compromete o sistema digestivo

Esse tipo de câncer é o segundo mais comum entre as mulheres, mas pode ser curado.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Caracterizado pelo crescimento desordenado de células do cólon e do reto, o câncer colorretal se desenvolve com um tumor maligno.

A doença acomete mais de 17 mil mulheres e 15 mil homens por ano apenas no Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca). É o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres, atrás apenas do câncer de mama.

Esse tipo de câncer acontece com maior frequência em pessoas acima dos 50 anos, que somam 90% dos casos. A incidência é maior também em quem apresenta histórico da doença na família. Os prejuízos do desenvolvimento do tumor acontecem principalmente no sistema digestivo, mas o tratamento precoce pode levar à cura.

cancer colorretal

Sintomas do câncer colorretal

O câncer colorretal se manifesta por meio de dores na região do abdômen, que provocam cólicas e sensação de inchaço na região. Perda de peso sem uma razão específica, diarreia, constipação e sensação de intestino sempre cheio fazem parte dos sintomas da doença.

Além disso, vômitos constantes, náuseas, cansaço, fadiga e presença de sangue nas fezes podem ocorrer no paciente com essa forma de câncer.

Pouca frequência de exercícios físicos, rotina sedentária, obesidade, consumo intenso de álcool e alta ingestão de alimentos gordurosos costumam ser fatores de risco para desenvolver as células do tumor colorretal.

Quando os sintomas se apresentam, é muito importante buscar o médico para um diagnóstico correto. Se for descoberto precocemente, o câncer colorretal tem 95% de chances de cura.

O especialista para cuidar dessa doença é o colonproctologista, que avalia tanto o cólon quanto o reto. Após os 50 anos, o exame mais indicado é a colonoscopia. No entanto, é possível examinar também a presença de sangue nas fezes.

cancer colorretal

Câncer colorretal tem cura

Os principais órgãos afetados pelo câncer colorretal são o intestino grosso (chamado de cólon) e o reto. Na maioria dos casos, essa doença é curada quando identificada a tempo e ainda não se espalhou pelo organismo. O tumor se inicia nos pólipos, através de lesões benignas que crescem na parede interna do intestino grosso.

Para prevenir o câncer com eficácia, os médicos recomendam a remoção dos pólipos antes que eles se tornem malignos. Quando já estão desenvolvidos, a cirurgia é o tratamento principal, quando a parte afetada do intestino e os nódulos linfáticos, que fazem parte do sistema imunológico, são retirados.

Depois, o paciente é submetido à radioterapia, que pode ou não ser feita junto com a quimioterapia. O tratamento depende, principalmente, da dimensão, da extensão e da localização do tumor. Quando a doença se espalha para o fígado, o pulmão e outros órgãos, as chances de cura diminuem.

Pessoas que mantêm uma alimentação rica em laticínios e vegetais, consomem pouca gordura e realizam exercícios físicos com regularidade têm menos probabilidade de desenvolver o câncer colorretal. O consumo moderado de carne vermelha também é uma forma de prevenção.

Aqueles que apresentam histórico de doenças inflamatórias no intestino, como úlceras crônicas e polipose, além de câncer de ovário, de útero e de mama devem realizar visitas periódicas ao médico para verificar a saúde e evitar o desenvolvimento desse tipo de câncer.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
câncer
cólon
reto
intestino

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ