Criança

19/11/2014 02:05 - Atualizado em 27/09/2016 09:37

Vacina contra HPV: Segunda dose teve pequena adesão no país

Reforço da vacina contra HPV imunizou menos da metade do objetivo de 4,9 milhões de adolescentes.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Menos da metade das meninas com idade entre 11 e 13 anos receberam o reforço da vacina contra o HPV. A primeira etapa da vacinação ocorreu há menos de dois meses, e apenas 45% das meninas imunizadas na primeira etapa foram levada para tomar a segunda dose. A meta do Ministério da Saúde era vacinar 4,9 milhões de adolescentes.

Vacina contra HPV protege contra o câncer do colo de útero

O ministério reforçou a importância da segunda dose na garantia da proteção contra o vírus, que responde pela maior parte dos casos de câncer de colo de útero no Brasil. Trata-se do terceiro tumor mais freqüente entre as mulheres e a terceira causa de morte entre a população feminina por câncer no País. O tumor pode ser prevenido com a vacina contra HPV.

vacina-contra-hpv

A estimativa do Ministério da Saúde é de que, diariamente, 14 mulheres morram no Brasil por causa do câncer de colo de útero. As meninas com idade entre 11 e 13 anos devem tomar todas as doses previstas da vacina contra HPV no calendário da vacinação: a segunda sempre seis meses após a primeira e a terceira, como reforço, depois de cinco anos. O cumprimento deste calendário garante 100% de proteção contra o HPV.

Apesar de a vacina contra HPV fazer parte do Calendário Nacional de Imunização do Sistema Único de Saúde (SUS) e estar disponível durante os 12 meses do ano nos postos de vacinação, as meninas que são alvo da vacinação devem seguir o cronograma de intervalo determinado entre uma dose e outra. O Ministério da Saúde alerta que somente uma dose não garante a proteção contra o HPV.

A pasta da Saúde divulgou que o governo, através das secretarias municipais e estaduais, desenvolve um trabalho para identificar as meninas que não receberam a segunda dose da vacina contra HPV. Durante entrevista, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, afirmou que será aplicada uma ação mais pontual, uma estratégia para levar as meninas aos postos.

Vacina contra HPV protege contra 4 subtipos do vírus

O governo oferece a vacina do tipo quadrivalente. Ela protege contra 4 subtipos do vírus - 6, 11, 16 e 18 e é 98% eficiente. O 16 e o 18 respondem por aproximadamente 70% das ocorrências de câncer de colo de útero em todo o mundo. Já os subtipos 6 e 11 são responsáveis por 90% das verrugas anogenitais.

Tomar a vacina ainda na adolescência é o primeiro de uma série de cuidados que a mulher deve ter para prevenir o HPV e o câncer de colo de útero.Vale ressaltar que a vacinação não substitui o exame preventivo e o uso do preservativo durante as relações sexuais.O exame preventivo, o papa Nicolau, deve ser feito por mulheres de 25 a 64 anos a cada 3 anos.

A transmissão do HPV se dá pelo contato direto com a pele ou mucosas infectadas na relação sexual. Também pode ser passado de mãe para filho durante o parto. De acordo com estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), 290 milhões de mulheres no mundo todo têm o vírus, sendo que 32% têm os subtipos 16 e 18.

O HPV é um vírus transmitido pelo contato direto com a pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Ele também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto. Estimativas da Organização Mundial da Saúde indicam que 290 milhões de mulheres no mundo são portadoras da doença, sendo 32% infectadas pelos tipos 16 e 18.

Gosta das nossas dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
saúde
hpv
vacina
câncer de colo de útero

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ