Criança

26/11/2015 11:34 - Atualizado em 09/12/2016 03:55

Tosse forte é um dos sintomas de coqueluche

A coqueluche é transmitida por via respiratória, mas pode ser prevenida com vacinas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Marcados principalmente pela tosse forte e pela dificuldade de respirar, os sintomas de coqueluche podem assustar pais e mães. Porém, não há motivo para desespero. Apesar da severidade, a infecção pode ser evitada com vacinas.

Segundo o médico infectologista Juarez Cunha, membro da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS), a coqueluche é uma doença respiratória que tem como característica principal a tosse forte e prolongada. “Ela é causada por uma bactéria chamada Bordetella pertussis e é transmitida de pessoa para pessoa por via respiratória”, explica.

Um dos grandes riscos da coqueluche, de acordo com o infectologista, é a possibilidade de acarretar outras complicações. “Quanto mais nova a criança, maior chance de complicar. Pode causar pneumonia, convulsões, comprometimento do sistema nervoso e morte”, alerta. Por isso, é importante reconhecer os sinais da doença e focar na prevenção.

menina com sintomas de coqueluche

Reconheça os sintomas de coqueluche

Ao contrário do que acontece em adultos, os pequenos podem passar por três estágios de manifestações. “O principal sintoma é a tosse, que na criança é bem característica, com um guincho ao final para conseguir respirar” destaca o infectologista. O quadro pode até ser confundido com uma gripe passageira, mas se prolonga por até dez semanas.

Confira outros sinais:

Estágio 1: Dura até duas semanas e é a fase de alto contágio

- Espirros e coriza

- Tosse constante e seca

- Olhos lacrimejando

- Febre baixa.

Estágio 2: Os sintomas podem durar de duas a quatro semanas 

- Tosse intensa que pode causar falta de ar

- Guincho agudo ao respirar

- Ânsia de vômito e cansaço após as crises de tosse.

Estágio 3: Momento final da doença, com sintomas mais leves

- Tosse ruidosa durante as crises

- Sintomas agravados por doenças como gripe.

Em adultos e crianças mais velhas, os sintomas de coqueluche não seguem um padrão e podem ser menos agressivos, inclusive difíceis de diagnosticar. A gravidade da manifestação também pode depender das variações climáticas e do tempo de vacinação. 

Saiba Mais
Respiração incorreta pode comprometer a simetria facial
Como prevenir a asma e outras doenças respiratórias
Vacina contra HiB protege de doenças infecciosas

Prevenção e tratamento

A prevenção da coqueluche se dá com a vacina tríplice bacteriana. Ela é recomendada para crianças aos dois, quatro e seis meses de idade, tendo reforços aos 15 meses e aos quatro anos de vida. “Também é indicada para outras idades”, comenta o médico. Grávidas e adolescentes podem se beneficiar da proteção.

Segundo informações da Fundação Oswaldo Cruz, referência em ciência e tecnologia para a saúde na América Latina, a ocorrência de casos de coqueluche no Brasil vem sendo reduzida graças aos programas de vacinação.

O tratamento para a doença, segundo o médico infectologista, é garantida pro antibióticos. Eles evitam que a pessoa continue transmitindo a bactéria, mas não modificam a evolução e a gravidade da doença. “Quando grave, pode ser necessário ajudar a criança a respirar, ofertando oxigênio e muitas vezes com aparelhos em UTI”, destaca Cunha.

E então, já consegue reconhecer os sintomas de coqueluche? Conte para nós! E aproveite para conferir outras dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
doença respiratória
vacinação
complicações da coqueluche
pneumonia infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ