Criança

04/10/2016 11:43 - Atualizado em 26/06/2017 02:07

Teste: Descubra se o seu filho tem TDAH

Responda às perguntas e veja se a criança é agitada ou hiperativa

POR

Redação

  • +A
  • -A

Conviver com um filho hiperativo e que tenha TDAH é, muitas vezes, sinônimo de desespero para muitos pais. Isso porque a criança diagnosticada com hiperatividade mostra um nível de atividade bem maior que outras da mesma idade, não conseguindo parar quieta, e apresentando um comportamento mais difícil de lidar. “Eles se machucam com mais frequência, sofrem mais acidentes por serem intempestivas, não têm paciência, interrompem e se intrometem nas conversas, o que acaba por incomodar bastante as pessoas ao redor. A criança tem dificuldade em permanecer em uma atividade - mesmo brincar ou assistir TV, o que prejudica coisas importantes, como comer ou atender o que a professora solicita. Com isto, acaba sendo um desafio para os pais, familiares e professores”, explica a psiquiatra infantil Jaqueline Bifano.

O que é TDAH e Hiperatividade?

A hiperatividade é um dos componentes mais conhecidos do TDAH - Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade. Na infância, a síndrome costuma estar associada a dificuldades na escola e no relacionamento com demais crianças, pais e professores. Segundo a psiquiatra, os meninos tendem a ter mais sintomas de hiperatividade e impulsividade do que as meninas. “Crianças e adolescentes com TDAH podem apresentar mais problemas de comportamento, como por exemplo, dificuldades com regras e limites”, diz.

Estudos revelam que o TDAH é o transtorno mais comum em crianças e adolescentes, sendo diagnosticado em 3 a 5% das crianças, de regiões diferentes do mundo em que já foi pesquisado. Em mais da metade dos casos o transtorno permanece na vida adulta, embora os sintomas de hiperatividade sejam mais brandos. Essas pesquisas revelaram ainda que a prevalência da síndrome é semelhante em todos os lugares analisados, o que indica que o transtorno não está ligado a fatores externos (como cultura), o modo como os pais educam os filhos e nem é resultado de conflitos psicológicos.

Alguns dos comportamentos mais comuns em uma criança hiperativa são agitar frequentemente as mãos ou se remexer na cadeira quando está sentado, por exemplo. No entanto, é comum essas ações serem confundidas com comportamentos ligados ao nervosismo, medo ou agitação. Por essa razão, é fundamental uma análise completa do comportamento dessa criança para que seja possível identificar todos os sinais de hiperatividade.

Pensando nisso, com a ajuda da psiquiatra infantil Jaqueline Bifano, preparamos um teste para te ajudar nesse diagnóstico prévio. Confira e veja se o seu filho é hiperativo:


O teste identificou que o seu filho pode ter hiperatividade e déficit de atenção? Agora, a melhor atitude a tomar é procurar um profissional para que ele possa avaliar a criança, diagnosticar corretamente e indicar o tratamento adequado para ele, se considerar necessário.

Segundo a psiquiatra Jaqueline Bifano, o tratamento poderá ser feito com remédios combinado com terapia comportamental e técnicas de relaxamento orientados por um psicólogo. “Contar com os pais também é essencial, para que eles ajudem a criança a controlar a doença e os seus sintomas”, concluiu.

E você? Convive com alguma criança hiperativa? Como você costuma lidar com o seu comportamento?

Para saber mais sobre Psicologia Infantil, não deixe de acompanhar o Vivo Mais Saudável.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ

Veja Também