Criança

15/01/2015 12:49 - Atualizado em 29/11/2016 08:36

Teste da linguinha agora é obrigatório em recém-nascidos

Teste da linguinha pode detectar futuros problemas de fala, mastigação e sucção.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Uma nova lei para regulamentar o teste da linguinha já está em vigor no território nacional. O exame aplicado em recém-nascidos passa a ser obrigatório em todos os hospitais e maternidades, independentemente de planos públicos ou privados.

As crianças devem realizar o procedimento, regido pela Lei 13.002/2014, para verificar a alteração na membrana que conecta a língua com a parte de baixo da boca, conhecida como frênulo. É essa parte do organismo que cuida do “freio” da fala, cuja mudança congênita provoca a famosa “língua presa”.

Problemas prevenidos pelo teste da linguinha

Não é apenas a questão da fala da criança que é beneficiada com o teste da linguinha. O exame também funciona para detectar futuros problemas de mastigação e sucção.

Caso o recém-nascido tenha a língua presa, ele não conseguirá se amamentar corretamente, pois o leite não é sugado como deveria, fazendo com que ele gaste uma quantidade maior de energia para mamar. Dessa forma, ele pode machucar a boquinha e ainda ganhar mais peso.

Teste da linguinha

Como é feito o o teste da linguinha

Com a aprovação da lei, o teste da linguinha passa a ser feito logo após o nascimento, ainda na maternidade. Bastante simples e rápido, ele consiste na avaliação do tamanho do frênulo do bebê.

Se for curto demais, indicará o problema. Além disso, a criança é observada durante a amamentação. Para maior eficácia no futuro tratamento, o teste deve ser realizado logo nos primeiros três dias de vida. Se não for possível, até 30 dias depois do parto.

Após o diagnóstico

Caso o bebê seja diagnosticado com a língua presa durante o teste da linguinha, não quer dizer que ele precise, de fato, passar por algum procedimento cirúrgico para corrigir o problema. Dependendo o grau de irregularidade apresentado, ele será encaminhando a algum tratamento.

A mais comum das formas de tratar não dói e não provoca sangramento se feita logo que o bebê nasce. Porém, quanto maior for o tamanho e idade da criança, mais dor e cuidados serão necessários após a cirurgia, uma vez que o frênulo vai se tornando mais grosso e resistente, dificultando a cirurgia.

A cirurgia para correção da língua presa

Chamado de pique, o procedimento cirúrgico que corrige a língua presa consiste em um pequeno corte feito no freio (frênulo) para deixar a língua mais solta e com possibilidade de movimento. A cirurgia é feita com anestesia local, dura poucos minutos e logo depois a criança pode ser amamentada.

O teste da linguinha é fundamental para que a criança seja encaminhada à mesa cirúrgica. O diagnóstico correto do exame, no entanto, vem sendo motivo de debate entre os médicos. Não existem ainda profissionais habilitados em todas as maternidades, o que faz a dúvida permanecer em muitos casos. Nem todas as situações de recém-nascidos com a língua presa requerem a cirurgia, no entanto, muitos bebês são encaminhados sem necessidade.

A lei aprovada para determinação do teste vem para garantir a antecipação da correção que, se feita logo depois do nascimento, evita procedimentos complexos no futuro. Grupos do Ministério da Saúde estão sendo formados para orientar médicos no momento da avaliação e garantir um diagnóstico correto.

Gosta das nossas dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
bebê
maternidade
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ