Criança

15/03/2015 05:21 - Atualizado em 08/12/2016 02:21

Suplementos à base de melatonina trazem riscos

Melatonina é utilizada para prolongar o sono das crianças, mas pode provocar efeitos colaterais.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Crianças e adolescentes que têm dificuldade para dormir ou sofrem com distúrbios de sono são recomendados a utilizar suplementos à base de melatonina. Essa substância é um hormônio produzido na glândula pineal, no cérebro. Sua função é indicar para o corpo o período do dia e da noite, afetando os sistemas metabólico, neurológico e cardiovascular.

De acordo com um estudo da Universidade de Adelaide, na Austrália, a suplementação com o hormônio pode causar diversos efeitos colaterais nas crianças, principalmente as mais velhas. Preocupados, cientistas estudam a eficiência da substância para descobrir se ela realmente é segura para ser administrada.

Saiba mais sobre a melatonina e como ela funciona no tratamento de problemas do sono.

melatonina

Brasil não permite comercialização de melatonina

Os brasileiros têm menos riscos de sofrer com os danos colaterais da melatonina. Por determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o hormônio não pode ser vendido no país porque seu registro é inválido para a substância sintética.

Porém, é possível importá-lo, com autorização dos órgãos responsáveis, pois não se encontra na lista dos ingredientes proibidos.

No periódico australiano de pediatria e saúde da criança, um estudo revelou que o uso do suplemento não vale a pena, se levado em conta o pouco tempo a mais de sono que proporciona. Entre as reações adversas de dosagens muito altas (acima de 10 mg por dia), estão a fadiga, o pouco foco visual e a falta de concentração.

Quando a criança tem tendências depressivas, o hormônio pode ser perigoso, pois agrava os quadros e provoca dores de cabeça. Além disso, sonolência em excesso e arritmia cardíaca podem surgir com o uso. Outros fatores desencadeados com a ingestão de melatonina são a inibição da absorção de cálcio pelo organismo, o que favorece a osteoporose e a diarreia.

Quanto maiores as dosagens, maior a intensidade dos efeitos colaterais. Nas mulheres, por exemplo, pode haver aumento da produção de estrogênio. É sempre recomendável que se deixe o hormônio agir naturalmente no corpo, sem utilizar suplementação. Dar preferência aos chás calmantes e a outras formas naturais de fazer a criança dormir é o que os médicos sugerem.

Melatonina para uso estético é contraindicada

Por incrível que pareça, algumas pessoas não utilizam a melatonina apenas na infância, como forma de melhorar a qualidade do sono. Para fins estéticos, homens e mulheres dos Estados Unidos consomem a substância para retardar o envelhecimento.

Como não há uma restrição legal para isso, já que a Food and Drug Administration (FDA) não controla os alimentos rotulados como suplemento, a venda cresce continuamente.

Médicos norte-americanos já começam a se preocupar com o consumo desenfreado da substância. Ele é administrado como qualquer outra vitamina e passa a ser ingerido sem regras. No entanto, apenas exames de sangue podem determinar a dose e função do hormônio em cada pessoa.

Nas crianças e nos adultos, o hormônio age de forma diferente e, em ambas, deve ser rigorosamente administrado. Por diversos motivos, o ingrediente é contraindicado. Gestantes, crianças com até 12 anos e lactentes não devem consumi-lo.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
sono
qualidade do sono
remédios para dormir
falta de sono na criança

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ