Criança

31/07/2015 11:11 - Atualizado em 09/12/2016 12:40

Síndrome de Moebius tira o sorriso da criança

Criança que sofre da doença geralmente tem estrabismo, não pisca e não lacrimeja.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A síndrome de Moebius é um distúrbio neurológico bastante raro. A doença é caracterizada pelo desenvolvimento anormal dos nervos cranianos e pela paralisia facial, com a perda total ou parcial dos movimentos dos músculos responsáveis pelas expressões e pela motricidade ocular. A criança que sofre da doença geralmente tem estrabismo, não pisca e não lacrimeja.

As alterações congênitas levam a pessoa a ter um aspecto inexpressivo, sendo privada de demonstrar suas emoções como alegria ou tristeza. O portador possui dificuldade para fechar a boca, mastigar, soprar ou sorrir. A fala é outra grande dificuldade, já que a musculatura da língua também é afetada.  

O problema não atinge apenas a face. A síndrome de Moebius também provoca deformação ou atrofiamento de membros superiores e inferiores - pés tortos e ausência de dedos ou das pontas dos dedos das mãos e dos pés. A estimativa é de que existam aproximadamente 600 casos, no Brasil.

Causas do distúrbio

Descrita pela primeira vez em 1892, pelo neurologista alemão Paul Julius Moebius, a doença tem recebido outros sinônimos, como aplasia nuclear congênita, aplasia nuclear infantil, paralisia oculofacial e diplegia facial congênita.

sindrome de moebius

Há várias explicações e teorias para o desenvolvimento da síndrome de Moebius. Segundo pesquisadores, qualquer modificação que prejudique o fluxo sanguíneo da placenta para o feto, em certo momento da gestação, poderia originar a aplasia ou a hipoplasia dos núcleos dos nervos facial e abducente, no tronco cerebral.

Mas o distúrbio também pode ser decorrente de problemas no sistema vascular, pelo uso excessivo de drogas e álcool, ruptura prematura das membranas amnióticas, hipertermia, hipotensão grave, cirurgia uterina prévia, choque elétrico e falha na tentativa de aborto, além de fatores genéticos. 

O misoprostol é apontado como o responsável pelo aumento recente de casos da doença, principalmente no Brasil. O medicamento - que deveria ser consumido apenas para o tratamento de úlcera gástrica - é usado de forma clandestina para provocar abortos.

Se a tentativa for frustrada, o desenvolvimento do embrião é prejudicado e o bebê pode nascer com a síndrome de Moebius.

Síndrome de Moebius não tem cura

O diagnóstico clínico é realizado quando equipe médica e familiares observam a falta de expressão facial da criança. Logo nos primeiros dias de vida, é possível ver a dificuldade na sucção do leite materno.

Durante o sono, o pequeno paciente não consegue fechar direito a pálpebra do olho atingido. Com a visão prejudicada, o bebê também movimenta constantemente a cabeça para os lados.

Apesar de a deformação atingir a face, a pessoa que tem a síndrome de Moebius não é considerada portadora de deficiência mental. Na verdade, pode ser muito inteligente e conviver normalmente em sociedade. A condição, porém, não tem cura.

Tratamentos cirúrgicos corretivos - ortopédicos, oftalmológicos e neurológicos - são utilizados, além de terapia ocupacional e fisioterapia para melhorar as condições musculares. É recomendado o acompanhamento com fonoaudiólogo para a questão da fala.

O papel do dentista também é importante. Os portadores do distúrbio têm maior suscetibilidade no desenvolvimento de lesões de cárie e doenças periodontais.

Você já tinha ouvido falar nessa síndrome? Deixe seu comentário! E continue ligado no Vivo Mais Saudável para conferir outras dicas de saúde.

TAGS
misoprostol
alteraçóes genéticas
deformação
paralisia facial

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ