Criança

23/12/2014 09:25 - Atualizado em 08/12/2016 12:08

Saiba quais são as principais doenças infantis no Brasil

Entre as principais doenças infantis, estão enfermidades de tratamento simples e fácil prevenção.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Entre as grandes preocupações dos pais durante a infância dos filhos, estão as doenças que atingem os pequenos nas mais diversas idades. As principais doenças infantis, aquelas mais comuns nos primeiros anos de vida, podem variar de região para região, mas um levantamento recente de pediatras mostra aquelas que acontecem com mais freqüência no Brasil.

doencas_infantis

Principais doenças infantis registradas no Brasil

Abaixo, confira na lista as principais doenças infantis no Brasil. O número entre parênteses é a proporção da carga da doença sobre o total da população de crianças brasileiras atingidas pela enfermidade. A carga de doença é medida em anos de vida perdidos por morte precoce, com um acréscimo pelo grau de incapacidade dos sobreviventes.

Pneumonia (11,5%) — Aqui estão incluídas não só as pneumonias bacterianas, mas também as pneumonias virais, como a bronquiolite, muito comum em bebês.

Diarreia (10,9%)

Prematuridade e baixo peso (8,6%) — Bebês prematuros ou com peso baixo para a idade são comuns em países com sistemas de saúde mal estruturados, por isso a OMS costuma agrupar as duas condições, que predispõem o recém-nascido a uma série de complicações, além da morte súbita.

Infecções e outros problemas dos recém-nascidos (6,1%) — Quando um recém-nascido fica doente, muitas vezes passa a desenvolver diversas enfermidades em sequência, daí elas serem contadas em conjunto. Como quase todos os partos do Brasil são feitos em maternidades, esses bebês ficam internados até atingir as condições de saúde necessárias para ir para casa.

Anomalias congênitas (5,8%) — Os defeitos de nascença podem até não ser comuns, no entanto, podem ser muito graves. Um exemplo disso é anencefalia, quando o bebê não tem o desenvolvimento completo do cérebro.

Complicações do parto (5,1%) — A falta de oxigênio ou algum outro tipo de acidente durante o parto são sempre um risco latente, e é por isso que o momento precisa de assistência obstétrica de qualidade.

Asma (4,2%)

Desnutrição proteico-calórica (3,7%) — Existem outros tipos de desnutrição, mas é o mais recorrente no país e, consequentemente, o que mais preocupa as autoridades de saúde.

Depressão (2,2%) — Crianças e adolescentes também estão sujeitas a desenvolver quadros de depressão. Vale apena lembrar que um dos fatores de risco é o histórico pessoal de violência.

Cárie (1,7%).

Doenças infantis e saúde pública

Algumas das principais doenças infantis listadas já deveriam ter deixado de ser problemas de saúde pública há tempos, mas ainda geram preocupação nas regiões menos desenvolvidas do país. É caso da pneumonia e da diarreia, por exemplo. Com raras exceções, elas só causam a morte de crianças quando não recebem o tratamento adequado.

Em crianças prematuras, com baixo peso e doenças típicas do recém-nascido, o percentual de mortes preveníveis ainda é menor, devido à fragilidade do organismo desses bebês. Por isso, um pré-natal e um parto bem feitos podem fazer toda a diferença sobre as principais doenças infantis.

A asma, por exemplo, perde seu poder letal se receber tratamento adequado logo nos primeiros meses de vida, e o diagnóstico pode ser antecipado de acordo com o histórico familiar da doença nos pais.

Além disso, são citadas outras quatro enfermidades entre as principais doenças infantis: a anemia por falta de ferro, a meningite, a enxaqueca e as complicações por acidentes de trânsito.

Gosta das nossas dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
saúde infantil
doenças
crianças

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ