Criança

15/11/2015 10:42 - Atualizado em 07/12/2016 11:08

Saiba como o estrabismo infantil pode ser tratado

Quando antes o problema for resolvido, menores as chances de sequelas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Ao identificar qualquer alteração ou desvio nos olhos das crianças, é indicado que os pais procurem um especialista imediatamente, pois pode ser sinal de estrabismo infantil. A condição possui causas variadas e, muitas vezes, indefinidas, exigindo a atenção dos adultos para perceber qualquer sintoma ou dificuldade na visão das crianças.

O problema precisa ser tratado o quanto antes, pois os resultados são muito mais efetivos quando se começa a correção de maneira precoce. Sem falar que isso evita consequências para a saúde da criança, como complicações e até mesmo a perda da visão de um dos olhos.

Entenda o que é estrabismo infantil

O estrabismo infantil é caracterizado por qualquer desalinhamento dos eixos visuais, como o desvio de um dos olhos numa direção horizontal convergente ou divergente, por exemplo. O problema afeta de 3% a 5% das crianças no mundo.

menina sorridente com estrabismo infantil

As causas variam de acordo com o tipo de estrabismo, com a idade de aparecimento e com as características demográficas das populações. O tipo mais frequente de estrabismo infantil é a endotropia acomodativa, representando cerca de 80% dos casos.

Embora possa se manifestar mais cedo, essa variação costuma aparecer entre os 2 e os 5 anos. Pode ser causada pelo esforço que a criança faz para focar as imagens, ou ocorrer devido a uma alteração na relação entre a acomodação e a convergência do olho.

Já a endotropia congênita, que se manifesta nos primeiros seis meses e se caracteriza por um desvio de grande ângulo, não possui causa conhecida. Alguns fatores de risco são histórico familiar, nascimento prematuro com idade gestacional inferior a 28 semanas, complicações perinatais envolvendo o sistema nervoso central e ainda síndromes genéticas, principalmente quando associadas a alterações craniofaciais.

Como tratar o problema

É importante que os pais fiquem atentos a qualquer alteração na visão dos filhos para que o diagnóstico seja feito o quanto antes e o tratamento comece.

Saiba Mais
Falta de vitamina A provoca cegueira noturna
Estrabismo não tratado pode evoluir para quadro de miopia
Principais cuidados com os olhos em cada fase da vida

Assim como as causas, os sintomas também dependem do tipo de estrabismo infantil, da idade de aparecimento e da forma como se instala. Nas crianças menores, muitas vezes não há queixas sintomáticas e os sinais mais importantes são os que decorrem das adaptações que a criança faz por causa do problema na visão.

Em geral, o tratamento do estrabismo infantil é longo, mas efetivo na maioria dos casos. Depois dos 7 anos de idade, as possibilidades de correção são mais lentas e menos efetivas, por isso é preciso começar o controle da situação o quanto antes, evitando complicações como a ambliopia.

Dependendo do grau de estrabismo, o tratamento pode ser apenas médico. Ele é feito por meio da correção óptica, com óculos, oclusões com tampões, exercícios musculares e lentes especiais, buscando recuperar a visão do olho vago e melhorar a ação, a habilidade e os movimento dos músculos.

Nos casos mais graves, pode haver necessidade de intervenção cirúrgicaEla é indicada quando as alternativas médicas não apresentam bons resultados e os olhos persistem com o desvio. O procedimento consiste em encurtar, alongar ou trocar a posição de um ou mais músculos do olho, permitindo um alinhamento correto e a recuperação total da visão.

Tirou suas dúvidas? Deixe um comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
saúde dos olhos
ambliopia
visão
infância

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ