Criança

21/11/2014 09:21 - Atualizado em 07/12/2016 04:03

Refluxo: como prevenir e ajudar o seu filho

Quando recorrente, refluxo deve ganhar atenção dos pais.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Sabe quando, após uma mamada, o bebê regurgita o leite que ingeriu? Isso é refluxo. Ocorrência muito comum nos primeiros 6 meses de vida, quando o esfíncter esofágico ainda não está desenvolvido e o estômago ainda não é capaz de segurar o alimento por muito tempo. O problema é quando essa situação começa a se tornar rotineira com o passar do tempo. Pode ser sinal de complicações.

O que é refluxo

O refluxo acontece quando os alimentos, líquidos ou sólidos, retornam do estômago para o esôfago após a refeição. Nem sempre esse retorno culmina no vômito, mas em crianças é muito comum, já que elas não têm capacidade de controlar o movimento esofágico. Ele aparece, geralmente, em bebês muito pequenos e de forma esporádica em crianças mais desenvolvidas.

refluxo

Mas há casos em que esse retorno dos alimentos ocorre de forma mais frequente, mais intensa e mais duradoura e é aí que os pais precisam ficar atentos. Os casos mais graves costumam culminar no vômito e em uma forte sensação de mal-estar, o que prejudica a alimentação, já que a criança perde os nutrientes do que comeu e não repõe, devido ao mal estar.

Muitos médicos consideram o refluxo como uma doença, já que ele pode se dar de maneira crônica. Além dos problemas estomacais, a acidez do líquido que retorna pode causar uma esofagite e outros problemas no esôfago e no estômago. Em bebês, o líquido do refluxo pode entrar no ouvido, já que ele não tem todas as estruturas formadas, causando situações graves de otite.

Ao perceberem que os bebês estão apresentando sinais de refluxo, como regurgitações frequentes e espasmos após a amamentação, os pais devem adotar algumas práticas para evitar o problema. Amamentar a criança com ela em posição barriga-barriga, onde a cabeça e o tronco ficam alinhados e o abdômen da mão fica encostado ao do bebê é uma boa opção.

Não balançar o bebê após a mamada é muito importante. O leite não pode ser muito movimentado dentro do estômago, pois isso facilita o retorno. Além disso, mantenha o bebê em pé por pelo menos 30 minutos após alimentá-lo. Assim, se o alimento retornar, ele voltará facilmente ao estômago e não atingirá outros órgãos, como pulmões e ouvidos, já que o bebê pode aspirar o regurgito.

Sintomas de refluxo

É possível perceber quando o bebê sobre com o refluxo. Além dos regurgitos frequentes e intensos, a criança que tem esse problema tem também dificuldades para mamar e se alimentar, e pode até mesmo rejeitar o alimento, já que o associa à sensação ruim. A irritabilidade também é presente nesses bebês, já que a acidez do alimento que retorna machuca o esôfago dos pequenos.

Sono agitado e perda de peso também são sinais que exigem a atenção dos pais. Otites de repetição, ou seja, infecções no ouvido que ocorrem com muita frequência são alertas de que é preciso se preocupar. Provavelmente, o líquido do refluxo deve estar atingindo o ouvido médio da criança. Ao identificar alguns sinais, procure um pediatra ou um gastroenterologista infantil, para tirar as dúvidas e iniciar os cuidados.

Gosta das nossas dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
crianças
bebê
saúde infantil
amamentação

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ