Criança

12/11/2014 11:11 - Atualizado em 29/10/2016 11:56

Poliomielite: Vacinação é eficaz na prevenção da doença

Também conhecida como paralisia infantil, poliomielite é alvo de campanha até o dia 22 de novembro.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Também conhecida como paralisia infantil, a poliomielite foi uma das doenças infantis mais temidas do século 20. As epidemias de pólio causaram deficiências físicas em milhares de pessoas, principalmente crianças.

No Brasil, a doença foi erradicada em 1990, mas a vacinação continua sendo fundamental para prevenir epidemias. E fique atento: a campanha nacional de vacinação contra a poliomielite e o sarampo, direcionada a crianças com idade de seis meses a cinco anos, se encerra no dia 22 de novembro.

poliomielite

Poliomielite pode levar à paralisia

Ainda presente na África e no sul da Ásia, em regiões com saneamento básico precário, a doença é causada pela infecção via oral ou fecal de um dos três tipos do poliovírus. Na grande maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas pode adquirir sérias lesões no sistema nervoso. Basicamente, há dois padrões básicos de infecção por pólio: a doença menor, que não afeta o sistema nervoso central, e a variação que afeta o SNC, podendo levar à paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores.

Além da paralisia, é possível citar, como possíveis complicações da poliomielite:

- Pneumonia por aspiração

- Problemas pulmonares

- Hipertensão

- Pedras nos rins

- Miocardite

- Infecções no trato urinário.

Tratamento se restringe a amenizar os sintomas

Os sintomas da doença podem variar bastante, mas, de um modo geral, são os seguintes:

- Febre de 5 a 7 dias

- Rigidez, contrações ou espasmos musculares na panturrilha, pescoço ou costas

- Dores musculares diversas

- Sensação de inchaço na região do abdômen

- Constipação

- Dificuldade para respirar

- Irritabilidade ou perda do controle do humor.

Como não existe cura definitiva para a poliomielite, o objetivo do tratamento é aliviar os sintomas e permitir a rápida recuperação, prevenindo complicações enquanto a infecção está em curso. Para casos graves, podem ser necessárias medidas emergenciais, como ajuda artificial para respirar. Alguns dos tratamentos modernos incluem :

- Medicamentos para retenção urinária

- Calor úmido por meio de bolsa de água quente ou de toalhas aquecidas, para reduzir a dor e os espasmos musculares.

- Analgésicos para reduzir a dor de cabeça

- Fisioterapia

- Uso de botas ortopédicas

- Crurgia ortopédica, para ajudar a recuperar a força da musculatura.

Transmissão da poliomielite é prevenida com a vacina

Criadas na década de 50, as vacinas contra o pólio foram a principal medida para combater a doença e conseguir extingui-la de forma definitiva no Ocidente. A forma de ação é semelhante a de outras vacinas: o organismo é exposto ao vírus morto, o que estimula o sistema imunológico e provoca a criação de células capazes de combater uma possível infecção com um vírus vivo.

Atualmente, existem dois tipos de vacinas:

- VPO-Sabin: também conhecida como vacina da gotinha, faz parte do Calendário Básico de Vacinação e deve ser aplicada aos 2, 4, 6 e 15 meses de idade. Até os cinco anos, as crianças precisam receber doses de reforço anualmente.

- Salk: administrada por via intramuscular, essa vacina é indicada para pessoas expostas ao vírus ou com baixa imunidade. Quem vai viajar para regiões onde o vírus continua ativo também pode ser vacinado.

Gosta das nossas dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
paralisia infantil
saúde
doença
vacinação

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ