Criança

20/05/2015 05:01 - Atualizado em 02/12/2016 08:08

Paralisia infantil: Entenda a importância da vacina

O Brasil está livre da doença há mais de 25 anos e, para continuar assim, a imunização é importe.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A paralisia infantil, também conhecida por poliomielite, é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus. Apesar do nome, além de infectar crianças, adultos também podem ser expostos ao vírus por meio do contato direto com fezes ou secreções orais contaminadas, provocando ou não a enfermidade.

Atualmente, grandes esforços são feitos em todo o mundo para erradicar a doença. No Brasil, não há casos registrados desde 1989, porém as campanhas de imunização continuam constantes. A vacina é fundamental para manter a poliomielite longe da realidade das crianças.

paralisia infantil

Erradicando a paralisia infantil

Entre 2013 e 2014, dez países registraram casos de paralisia infantil e, por isso, a continuidade da vacinação é muito importante para que o Brasil não volte a esse mapa. A única forma de prevenir a doença é por meio da vacinação.

É importante ter consciência que a prevenção é um dever de todos. Por ser uma doença contagiosa, a pessoa que opte por não vacinar seu filho estará colocando em risco a saúde dele e de toda a sociedade.

A vacina contra a poliomielite faz parte do Calendário Básico da Vacinação. A gotinha e a VPO-Sabin são as duas opções de imunização e devem ser aplicadas aos 2, 4, 6 e 15 meses de idade. Até a criança alcançar os 5 anos, ela também deve receber o reforço anualmente.

É importante lembrar, ainda, que não existe um tratamento específico para a doença - mais um motivo de apostar na vacina para a imunização.

Como o vírus atua no organismo

O período de incubação do vírus da paralisia infantil é de cinco a 35 dias. Quando os sintomas se manifestam, variam muito, de acordo com a gravidade da infecção. Os sinais são caracterizados pela paralisia flácida de início súbito, atingindo os membros inferiores com flacidez muscular, e sensibilidade.

Já nas formas não paralíticas, febre, mal-estar, dor de cabeça, vômitos e rigidez na nuca são algumas características.

Cuidado com a paralisia infantil

Alguns dos principais disseminadores do vírus da paralisia infantil são a falta de saneamento básico e de cuidados com a higiene. Água contaminada e esgoto a céu aberto colaboram para a proliferação da doença.

Lavar bem as mãos e os alimentos é importante para se prevenir dessa e de outras doenças. As crianças devem ser orientadas desde pequenas sobre a importância desses cuidados, que garantem uma vida mais saudável.

Para um Brasil e um mundo livre da paralisia infantil, cada cidadão deve ter responsabilidade para fazer a sua parte. Se você não levou seu filho para se vacinar ou perdeu alguma data, procure auxílio no posto de saúde mais próximo da sua casa para fazer a regularização da prevenção.

Além disso, estimule pessoas que você conheça a fazer o mesmo. Explique sobre a importância da vacina. A paralisia infantil foi erradicada no país, mas, para manter o quadro assim, é preciso cuidado e disciplina de todos.

Ficou por dentro dos detalhes sobre a paralisia infantil? Agora informe-se com o agente de saúde mais próximo sobre o calendário de vacinação! Não esqueça de deixar seu comentário e de continuar acompanhando as novidades de saúde do Vivo Mais Saudável.

TAGS
poliomielite
vacinação
saúde infantil
doença viral

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ