Criança

11/11/2014 10:11 - Atualizado em 21/11/2016 10:27

Novembro é mês para manter Brasil longe do sarampo

Campanha nacional de vacinação contra poliomielite e sarampo segue até o dia 22 de novembro.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Depois de sucessivas campanhas de vacinação e da implantação de programas de vigilância contra epidemias, o Brasil conseguiu se ver livre do sarampo. O último caso da doença registrado no país foi no início da década passada. No entanto, os esforços têm de continuar para que o problema permaneça distante: a campanha nacional de vacinação contra a poliomielite e o sarampo, direcionada a crianças com idade de seis meses a cinco anos, vai até o dia 22 de novembro.

Sarampo é transmitido pelo contágio

Considerada uma das principais causas de mortalidade infantil em países do Terceiro Mundo, onde o saneamento básico é precário e a saúde pública praticamente inexiste, o sarampo é uma doença altamente contagiosa provocada por um vírus chamado Morbillivirus.

A transmissão ocorre diretamente de pessoa para pessoa, por meio do contágio com secreções do nariz e da boca expelidas pelo doente ao tossir, respirar ou falar. Estima-se que 90% das pessoas não imunes expostas ao contágio acabem infectadas pelo vírus.

sarampo

Manchas vermelhas são os sintomas mais comuns do sarampo

As famosas manchinhas vermelhas - cujo nome técnico é Sinal de Koplik - que se alastram pela pele, acumulando-se ao redor das bochechas, são o principal sinal da doença. Outros sintomas podem incluir:

- Mal estar geral

- Coriza

- Febre alta

- Aversão à luz

- Dificuldade de ingestão

- Conjuntivite

- Infecções na garganta

- Infecção no nariz

- Tosse com catarro.

Vacinação é eficaz na prevenção

A prevenção do sarampo é feita por meio de vacinas. Ou seja: o vírus morto é introduzido no organismo para ativar o sistema imunológico, produzindo as células capazes de combater o problema e evitar a infecção no caso de contágio com um vírus vivo.

Em geral, ao nascer a criança é protegida por algumas células de defesa da mãe. Assim, a primeira dose de vacina costuma ser aplicada entre o primeiro e o segundo ano de vida:

- 12 a 24 meses: dose única

- 4 a 6 anos: 1º reforço

- 12 anos: 2º reforço

Adultos não-vacinados também podem receber a vacina, com algumas contra-indicações específicas: mulheres grávidas ou que possam engravidar dentro de três meses não devem ser vacinadas, e pacientes com leucemia, HIV/SIDA e outros problemas graves de imunidade precisam ser avaliados individualmente.

Prevenir é a melhor recomendação

Se você tem filhos, siga à risca a cartela de vacinação, pois é a saúde do seu filho que está em jogo. O sarampo pode ocasionar graves problemas à saúde da criança, especialmente se ela estiver debilitada por algum motivo.

Esteja atento a doenças em crianças que convivem com seu filho procurando saber as causas. Se aparecerem manchas avermelhadas na pele, não deixe de procurar atendimento médico especializado mesmo que ela esteja vacinada. Quando se trata de saúde, prevenir é o melhor remédio.

Gosta das nossas dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
vacinação
saúde
crianças
saúde infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ