Criança

25/12/2014 01:51 - Atualizado em 01/12/2016 09:11

Hormônio do crescimento: Veja se vale acelerar desenvolvimento

Reposição do hormônio do crescimento só pode ser feita com a indicação de um médico.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Todas as funções do corpo humano são realizadas por substâncias produzidas dentro do próprio corpo. Com o crescimento não é diferente. O GH, o hormônio do crescimento, é produzido por uma glândula chamada hipófise, que fica na base do cérebro. Mas há algumas pessoas, insatisfeitas com a sua estatura, que realizam um tratamento e estimulam o aumento de tamanho. Será que vale a pena?

hormonio do crescimento

Hormônio do crescimento: A aceleração

Crianças de ambos os sexos podem realizar o tratamento com o hormônio do crescimento. Ele funciona da seguinte forma: a pessoa ingere cápsulas ou outras formas desse hormônio manipulado em laboratório. Com o aumento das dosagens da substância no sangue, o corpo recebe a informação de que deve continuar crescendo. E segue essas ordens.

Pais de crianças cuja tamanho gera insatisfação procuram médicos endocrinologistas, responsáveis pelo trato do sistema hormonal, em busca de uma forma de aumentar a estatura. São esses especialistas que indicam a utilização do hormônio manipulado para conquistar o objetivo final dos pacientes.

Para os meninos, o hormônio do crescimento inibe as funções dos hormônios femininos que eles possuem no corpo, fazendo com que o desenvolvimento ocorra de forma mais rápida e visível. O fato é que esse tratamento só funciona em meninos que ainda não tenham entrado na adolescência, fase em que o crescimento diminui consideravelmente, até estagnar.

Nas meninas, o tratamento com o hormônio do crescimento deve ser administrado em conjunto com um tratamento para o atraso da menstruação. Assim, elas conseguem ganhar alguns centímetros antes que as epífises ósseas se fechem. Quando essas estruturas se fecham, o crescimento está completo e aí não haverá mais nenhum resultado possível com o hormônio.

É preciso considerar que o corpo produz a quantidade de hormônios exata para que o crescimento seja suportado pela estrutura óssea e muscular da pessoa. Quando há um estímulo para que aquele indivíduo cresça mais do que o planejado, os ossos podem não suportar o peso e a estatura da pessoa, deixando ela mais vulnerável à fraturas e mais propensas à osteoporose.

Saiba mais sobre o hormônio do crescimento

O GH tem funções muito importantes no corpo humano. Quando há algum tipo de problema na sua produção, a pessoa desenvolve algumas doenças relacionadas ao crescimento. Se não há produção suficiente desse hormônio para que a criança cresça, ela desenvolve uma doença chamada nanismo, na qual fica com uma estatura muito abaixo do normal, para o resto da vida.

Se o corpo produz uma quantidade excessiva de hormônio do crescimento, iniciam-se os sinais de uma outra doença chamada de gigantismo. Essa doença é caracterizada pelo crescimento intenso, rápido e desordenado do corpo. A pessoa fica muito alta, com braços e pernas muito longos, muitas vezes sem estrutura esquelética para isso e com dificuldades de convívio.

As desordens no GH podem acontecer por diversos motivos diferentes, mas de modo geral são causadas por traumas que acontecem ainda durante o parto. Se no momento do nascimento, por exemplo, o bebê está com a cabeça dentro do útero e é puxado pelas pernas, pode haver uma ruptura da haste hipofisiária, que liga a hipófise. E isso pode causar uma baixa na produção do hormônio.

Gostou de saber sobre o papel desse hormônio no desenvolvimento do seu filho? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
desenvolvimento infantil
crianças
hormônios
saúde infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ