Criança

08/07/2014 10:00 - Atualizado em 06/12/2016 05:44

Fonte de vida, cordão umbilical vai além da ligação entre mãe e filho

É através do cordão umbilical que o embrião recebe os nutrientes necessários.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O cordão umbilical é fundamental para a formação do bebê. Sem ele, o feto não sobrevive. Mas você sabe exatamente quais são as suas funções? Vamos descobrir agora.

Funções do cordão umbilical

Ele é constituído por três canais, sendo duas artérias e uma veia, além da "geléia de wharton", o material gelatinoso que envolve e protege os vasos. Trata-se de um anexo que encontramos apenas nos mamíferos, e permite a comunicação entre o embrião e a placenta – ou seja, entre a mãe e o filho. 

Mas há outras funções para o cordão umbilical, além de cuidados e possíveis complicações que podem envolvê-lo. É através do cordão umbilical que o embrião tem a garantia de receber os nutrientes necessários. Também por ali acontece a troca de gases efetuada pelo sangue, que chega pela veia cava inferior. Ele é oxigenado e advindo da placenta.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

O cordão umbilical é a garantia de nutrientes e, também, responsável pela troca de gases que se efetua através do sangue, que chega pela veia cava inferior. Vai do átrio direito diretamente para o ventrículo esquerdo (sem passar pelo ventrículo direito), pelo forame oval. Lá, é bombeado para os vasos da cabeça e membros superiores. O sangue volta da cabeça pouco oxigenado, então passa pelo átrio direito, ventrículo direito e artéria pulmonar. Aí, como os pulmões do bebê ainda não são operacionais, esse sangue é encaminhado para a aorta descendente, que o leva até a placenta por meio do cordão umbilical. Assim é oxigenado, e o ciclo se inicia novamente.

Formação do cordão umbilical

A formação se dá a partir do saco amniótico, que forma o epitélio do cordão; do alantoide, que forma a veia e as artérias umbilicais; e da vesícula vitelínica. Em gestação, o feto fica dentro de uma bolsa cheia de líquido amniótico. São encontradas, no endotélio e subentotélio da veia do cordão umbilical, células-tronco, que podem se transformar em quaisquer outras células do corpo.

Nascimento

No nascimento do bebê, alguns cuidados em relação ao cordão umbilical precisam ser tomados. Ele é cortado e, então, como o oxigênio não vem mais pela maneira anterior, é provocada a abertura das artérias que servem de via para o sangue proveniente do lado direito do coração para os pulmões – elas se mantinham quase fechadas durante a vida intrauterina. Desse modo, é possibilitado que o líquido existentes nos alvéolos pulmonares seja absorvido, abrindo, finalmente, uma via aérea entre a boca do bebê e os pulmões, podendo o oxigênio chegar ao sangue.

Complicações com o cordão umbilical

Podem acontecer anomalias no cordão umbilical, ou então complicações silenciosas antes do parto, com alguns sintomas não detectáveis pelos métodos rotineiros de vigilância. Pode acontecer de haver obstrução parcial ou completa da veia ou artérias do cordão umbilical, o que pode provocar a asfixia do bebê. Outras perturbações na comunicação entre a placenta e o embrião podem se originar em um cordão malformado – anormalmente curto ou longo, ou então com pouca geleia de Wharton.

A maioria das complicações, no entanto, pode ser detectada por exames rotineiros. Então a principal recomendação é que a gestante consulte o seu médico com bastante regularidade.

Gostou do texto? Deixe seu comentário e compartilhe sua experiência!

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ