Criança

10/10/2014 02:54 - Atualizado em 02/12/2016 11:58

Criança com asma pode ter rotina normal

Com os devidos cuidados, é possível conviver bem com a asma.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A asma é uma doença inflamatória crônica que atinge as vias aéreas e os brônquios (pequenos canais de ar dos pulmões). Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 10% dos brasileiros sofrem com o problema. Embora a doença afete pessoas de todas as idades, a maior parte dos casos acontece entre as crianças.

Não existe cura definitiva para a asma, mas, ao contrário do que boa parte das pessoas imagina, é possível conviver com o problema e levar uma vida sem maiores complicações, com apenas algumas alterações pontuais na rotina a fim de evitar as crises, e com o auxílio de medicação específica.

asma

Crises de asma são provocadas pela inflamação dos brônquios

O pulmão de uma criança asmática é diferente de um pulmão completamente saudável: os brônquios são mais sensíveis e, por isso, mais suscetíveis a inflamações. Uma pessoa sem o problema só terá dificuldades para respirar quando estiver exposta a agentes muito nocivos, como a fumaça de um incêndio.

Quando isso acontece, o organismo identifica os agentes irritantes e contrai a musculatura em volta dos brônquios, obstruindo a passagem de ar e impedindo que ele entre nos pulmões. Uma criança com asma sofre do mesmo problema, só que as crises são desencadeadas por agentes muito menos nocivos – como a poeira, por exemplo.

Para evitar a inflamação dos brônquios de seu filho e, por consequência, as crises asmáticas, é preciso estar atento aos agentes que causam o problema.

info-asma

É possível conviver com a asma

asmaPara conviver com o problema sem maiores percalços para a vida da criança, é preciso trabalhar para reduzir a exposição aos agentes causadores. Reconhecer a doença e procurar atendimento médico também é fundamental para que a medicação de controle de longo prazo seja prescrita.

Outro artifício que pode ser utilizado pelos pais juntamente com as crianças é o “debitômetro”, um dispositivo simples que identifica quando uma crise asmática está por acontecer. Verificar o "debitômetro" com regularidade é uma das melhores formas de controlar a asma, porque os ataques não costumam chegar de forma repentina e sem avisos.

Muitas pessoas acreditam que uma criança asmática não pode praticar nenhum tipo de esporte e sequer brincar com os amigos. Mas isso não é verdade: com o acompanhamento médico e atenção a esforços demasiados, é possível realizar exercícios físicos. A prática é inclusive recomendada, porque o sedentarismo e a obesidade podem agravar o quadro asmático.

Com o tratamento adequado e um trabalho em conjunto dos pais, dos professores e do médico, quase todas as crianças com asma conseguem viver uma vida normal.

Cuidado para não confundir asma com insuficiência cardíaca

Falta de ar, chiado no peito e cansaço são alguns dos sintomas característicos da asma, mas também podem indicar outra doença: a insuficiência cardíaca. Como os sinais são parecidos, muitas pessoas se confundem e acabam não procurando o tratamento adequado.

O diagnóstico precipitado e equivocado, sem o auxílio de um especialista, pode deixar sequelas no coração, além de agravar o problema.

Gostou das nossas dicas? Então deixe um comentário e acompanhe nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
doenças respiratórias
saúde infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ