Criança

11/01/2015 03:45 - Atualizado em 11/12/2016 02:28

Constipação intestinal infantil é um problema comum. Veja como tratar

Má alimentação, desidratação e fatores psicológicos podem levar à constipação intestinal infantil.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A constipação intestinal infantil (ou prisão de ventre infantil) atinge cerca de 25% das crianças entre 6 e 24 meses de idade. Os pais e cuidadores têm um pouco de dificuldades para identificar esse distúrbio já que não existe uma regra que estabeleça o que é normal ou não em se tratando de quantas vezes o pequeno deve sentar no troninho para fazer cocô. Saiba identificar os principais fatores que levam à constipação e o tratamento adequado para seu filho.

Não confunda

Assim como acontece com os adultos, cada organismo funciona de maneira diferente. Algumas crianças costumam fazer cocô após praticamente todas as refeições. Outras já tem seu horário certinho ou mesmo podem passar até dois dias sem evacuar e não se sentir desconfortável. Observe os hábitos da criança antes de qualquer conclusão e, sempre que for ao pediatra, relate a rotina do pequeno em relação as idas ao banheiro.

Constipação intestinal infantil

Causas da constipação intestinal infantil

Alimentação com pouca fibra e ingestão de pouco líquido estão entre as principais causas da constipação intestinal infantil. Porém há o fator psicológico determinado pela própria criança. Esse fenômeno é conhecido como auto-obstipação. Nesse caso a criança segura o cocô por achar feio o ato de evacuar ou por não querer interromper as brincadeiras para ir ao banheiro cada vez que sente vontade.

Em alguns casos, o ato de fazer cocô é associado à dor por algum processo de constipação intestinal infantil anterior. Quando a auto-obstipação torna-se grave, uma boa conversa com o médico pediatra ou até mesmo com o psicólogo pode ajudar a resolver a questão.

Sintomas da constipação intestinal infantil

Conhecer o funcionamento do corpo do seu filho é o principal fator para perceber, com mais rapidez, a constipação intestinal infantil. Se ele fica mais tempo do que de costume sem fazer cocô já é um sinal de alerta. Toque o abdômen da criança com cuidado para identificar se essa região está mais rígida que o normal e, nunca desconsidere as queixas de dores.

Mesmo depois que a criança consegue fazer cocô é importante perceber a textura e a rigidez das fezes. A constipação intestinal infantil se caracteriza por fezes duras e secas que dificultam a evacuação. Em alguns casos, em razão das pequenas fissuras que podem ocasionar no ânus, as fezes podem apresentar um pouco de sangue.

Muitas crianças, durante o período de constipação intestinal infantil, podem apresentar fezes mole, semelhante à diarreia, e em pouca quantidade. Esse pode ser um sinal de que as partes duras do cocô não conseguem sair do intestino e só as líquidas “escapem” para o exterior. Nesse caso, buscar orientação de um profissional de saúde sempre é a melhor recomendação.

Como tratar 

O tratamento da constipação intestinal infantil, na maioria dos casos, depende da mudança nos hábitos alimentares. Uma alimentação carente de fibras pode levar a esse distúrbio. Por isso, insira frutas, verduras, legumes e grãos integrais nas refeições para que o aparelho digestivo funcione adequadamente.

Beber muita água também ajuda a evitar a constipação intestinal infantil. Assim como a prática de atividades físicas auxilia o organismo a irrigar os vasos sanguíneos do sistema digestivo, o que facilita na hora da evacuação.

Nos casos mais graves, a atuação do profissional de saúde é essencial. Nesses, podem ser necessários intervenções como lavagem intestinal ou supositórios.

Gosta das nossas dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
saúde
constipação
hidratação
alimentação

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ