Criança

13/07/2014 06:00 - Atualizado em 05/12/2016 12:28

Asma infantil é doença crônica que deve ser levada a sério. Veja o que fazer

Pais devem prestar atenção aos fatores de risco que desencadeiam crises de asma infantil nas crianças.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Também conhecida como asma pediátrica, a asma infantil é uma doença que provoca inchaço e estreitamento das vias aéreas nas crianças. Sua ocorrência motiva grande parte das internações hospitalares, especialmente no inverno.


Asma infantil e alergia

asma-infantilFoto: Shutterstock

De forma frequente, a asma infantil aparece em conjunto com quadros de alergia, o que provoca o agravamento dos sintomas. Dessa forma, a doença requer muita atenção dos pais, que devem saber orientar seus filhos a agir diante de uma crise.

Em episódios de ataque de asma infantil, os músculos ao redor das vias aéreas se tornam enrijecidos e, assim, acontece o inchamento do revestimento por onde há a passagem de ar.

Como consequência, ocorre uma redução na quantidade de ar que a criança consegue inspirar. Apesar do desconforto e até apreensão que essa dificuldade respiratória provoca, a asma infantil raramente se coloca como uma doença fatal.

Ainda assim, a família tem o importante dever de, junto com o médico, planejar a rotina da criança, de modo que a patologia não atrapalhe a sua rotina.


Sintomas da asma infantil

Como já citado, a dificuldade para respirar se revela como o principal sintoma da asma infantil, mas ele não é único. Os sinais da doença costumam ter menor incidência conforme a criança cresce. 

Ainda assim, é importante manter a asma infantil sob controle, visto que a patologia pode provocar alterações permanentes na capacidade pulmonar do indivíduo.

Por isso, conhecer os sintomas da doença e saber enfrenta-los é função importante dos responsáveis pela criança. Confira os principais sinais da asma infantil:

- Dificuldade para respirar;
- Falta de ar que leva à ansiedade;
- Pulsação em ritmo acelerado;
- Lábios e rosto com coloração azulada;
- Sudorese;
- Queda no nível de atenção, confusão ou sonolência.


Fatores de risco para a asma infantil

É papel dos pais, nos casos de asma infantil, oferecer à criança um ambiente seguro contra as impurezas do ar, criando ou modificando a estrutura da casa para evitar a repetição de crises nas quais os pequenos têm dificuldade para respirar.

Entre estas medidas, é importante conter os principais fatores de risco da asma infantil que são os animais domésticos (em razão dos pelos), a poeira, o mofo, o pólen e a fumaça do cigarro, o ar frio e as mudanças de temperatura, as emoções muito fortes e as infecções virais, como o resfriado comum.


Tratamento da asma infantil

Identificar a doença na criança e buscar auxílio médico para o tratamento são outras ações esperadas dos pais em casos de asma infantil. Com a abordagem adequada, os pequenos conseguem conviver com o problema sem que ele afete a sua vida.

O tratamento é, basicamente, medicamentoso. Os corticosteroides, por exemplo, são a escolha prioritária para os bebês que sofrem de asma. Geralmente, é prescrito um período experimental de uso por quatro a seis semanas, de forma a testar a sua eficácia sobre os sintomas da asma.

Se não apresentar resultados, o tratamento é interrompido. O nebulizador pode ser indicado porque as crianças menores, como os bebês, têm dificuldade para respirar a medicação por um inalador.

Equipamento médico, o nebulizador é formado por um compressor, uma tubulação para distribuir o remédio e um recipiente ou máscara facial.

Caso a criança sofra de alergias em conjunto com a asma infantil, o vaporizador pode ser indicado. Sua função no tratamento é criar um ambiente de pouca umidade no quarto do bebê pode ajudar a aliviar os sintomas da doença.

O seu filho possui asma? Como tem sido o tratamento apartir de então? Se você possui asma, conte-nos também um pouco sobre como lidar com as crises, ou até mesmo dicas importantes para instruir os pais das crianças que sofrem de asma.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ