Criança

23/02/2015 02:42 - Atualizado em 05/12/2016 11:14

Aprenda a identificar os diferentes tipos de choro de criança

Alterações na intensidade do choro podem indicar fome, sono e até mesmo manha.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Existem controvérsias quanto aos motivos que levam ao choro do bebê. Alguns pais acham que precisam deixar a criança chorando, pois deve ser apenas manha. Outros atendem prontamente, pensando que é algo grave.

E quando chorar se torna quase um hábito? Como agir? É por esse motivo que é tão importante conhecer as diferentes formas de "comunicação" do seu filho.

choro

Segundo Mary Ainsworth e Silvia Bell, psicólogas especialistas em desenvolvimento infantil, quando as necessidades da criança são atendidas logo, ela para de chorar com tanta frequência. Elas investigaram como era a resposta das mães ao choro dos filhos e descobriram que, quanto mais rapidamente se afagassem os bebês, menos tendência eles tinham a chorar.

Para o neonatologista e pediatra Marcelo Reibscheid, os pais devem mostrar ao bebê que não vão ao berço apenas porque ele está chorando. Com algumas atitudes, eles devem mostrar ao filho que manha não é permitida.

As recomendações do médico são deixá-los chorando por um ou dois minutos antes de ir ao quarto verificar, caso haja incidências recorrentes. Quando cria hábitos, a criança se "vicia" e chora como forma de manipulação.

Choro de dor pode ser identificado rapidamente

Quando o bebê sente algum tipo de dor - provocada por alguma infecção, doença ou batida -, geralmente chorará apontando para o lugar dolorido. Por exemplo, se estiver com dor no ouvido, irá tocar as orelhinhas durante o choro.

A dor da cólica é um pouco diferente, pois ela é bastante frequente até os três meses e costuma acontecer após as mamadas. Como o sistema digestivo do bebê é frágil, ele se sente desconfortável após se alimentar. Quando chora aguda e longamente, também enruga a testa e deixam o abdômen distendido.

Nessas situações, faça leves massagens no pequeno, esticando e encolhendo suas perninhas. Ao dar de mamar, deixe-o na posição mais reta possível, para que ele não engula ar. Segure-o apoiado no seu braço dobrado, com a barriguinha virada para baixo. Dessa forma, ele pode soltar gases depois de se alimentar.

Fome e sono também levam ao choro

A dificuldade para amamentar o bebê é comum nos primeiros dias, por isso a criança entende a fome como um tipo de dor. Antes do choro, ela já mostra que está querendo mamar: chupa o dedo, abre e fecha as mãozinhas. Geralmente, quando começa a chorar, permanece com a mão na boca. A única solução é dar o leite.

Já quando está cansado, o bebê costuma chorar bem alto, com certo nervosismo. Para acalmá-lo, vá para um ambiente tranquilo, com pouca luz, e cante baixinho enquanto o embala. Com paciência, aguente a intranquilidade da criança, pois ela pode demorar até se acalmar.

O choro em função da fralda suja aparece porque o contato com a urina ou as fezes incomoda a criança, podendo provocar assaduras. Além de chorar, ela fica se retorcendo por causa da pele ardendo. Troque a fralda e use pomada para assaduras, deixando-a nua por algum tempo para que a pele respire e a criança se acalme.

Gostou das dicas de saúde infantil? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
bebês
cólica
fralda
aleitamento

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ