Criança

06/07/2014 02:30 - Atualizado em 06/12/2016 10:47

Aprenda a identificar as cólicas em recém-nascidos e aliviar os sintomas

Cólicas em recém-nascidos provocam dor inédita no bebê, mas que pode ser prevenida e amenizada

POR

Redação

  • +A
  • -A

Uma das maiores preocupações das mães durante os primeiros meses de vida do seu filho são as cólicas em recém-nascidos. Trata-se de um problema até certo ponto comum e que costuma ocorrer com maior frequência entre 15 dias e três meses de vida.

Cólicas em recém-nascidos são sensação nova

As cólicas em recém-nascidos raramente acontecem em bebês com mais de seis meses de idade. Trata-se de uma sensação nova para ele e que provoca muita dor. Como não poderia deixar de ser, então, o resultado é o choro, que tem característica estridente.

Foto: Shutterstock

Os pais costumam ficar desesperados quando os bebês choram compulsivamente e, muitas vezes, têm dificuldade para identificar a razão daquele choro em meio a um turbilhão de emoções.

Sintomas das cólicas em recém-nascidos

Identificar as cólicas em recém-nascidos não é uma tarefa muito difícil, já que o bebê dá sinais claros e que são específicos dessa condição. O problema é que, em geral, os pais estão nervosos demais para prestar atenção ao quadro.

De forma geral, na ocorrência de cólica, o bebê fica inquieto e com rosto vermelho, fazendo caretas, se contorce e encolhe as perninhas até a barriguinha. Se tudo isto for observado, pode ter certeza: é um caso claro de cólicas em recém-nascidos.

Causas das cólicas em recém-nascidos

As cólicas em recém-nascidos acontecem por imaturidade do sistema digestivo do bebê, que faz com que as paredes intestinais se contraiam, relaxem sem controle e resultem em gases que levam à cólica.

Outro motivo seria uma novidade alimentar: agora, o intestino está recebendo alimento e a digestão acelera o seu funcionamento, provocando as cólicas em recém-nascidos. O movimento do intestino também precisa de um tempo para se coordenar e regularizar suas funções, lembrando que ele é preparado para receber somente o leite materno até os seis meses de vida.

Esse leite pode contribuir para que ocorram cólicas em recém-nascidos, porque dá trabalho ao intestino para digeri-lo. Caso o bebê receba outro tipo de alimentação nessa fase, as cólicas podem ser ainda piores, pois a digestão será mais difícil e exigirá um maior trabalho do intestino.

Outros fatores que contribuem para as cólicas são a tensão ou o estresse do ambiente, que pode deixar o bebê tenso e agitado. Caso a mãe fique nervosa, ela passa essa ansiedade para o bebê. Por esse motivo, ela precisa tentar ficar o mais tranquila possível, passando segurança para a criança, junto de muito amor e carinho.

Dicas contra as cólicas em recém-nascidos

- A mãe deve estar atenta, pois o bebê pode engolir ar quando está sendo amamentado, e isso aumenta as dores ocasionadas por gases. Essa é a pior dor que o pequeno já sentiu e, por isso, o choro não acaba por nada. Coloque o bebê bem inclinado para se alimentar e arrotar. Após as mamadas, ele deve para dormir de lado.

- Faça compressas mornas na barriga do bebê, usando uma fralda aquecida ou bolsa com água morna. Recomenda-se ginástica com as perninhas do bebê, como se ele estivesse pedalando, juntamente com massagens na região da barriga. Com as mãos aquecidas e com movimentos circulares, esses procedimentos podem ser feitos durante 2 minutos cada, até 5 vezes ao dia.

- Observe se, quando come algum tipo de alimento, seu bebê apresenta cólicas. Neste caso, e corte o alimento até os três meses de vida, pelo menos. Os produtos mais comuns em termos de rejeição dos pequenos são laticínios, chocolate, cafeína, frutas, sucos cítricos e alimentos condimentados.

Deixe seu comentário e compartilhe sua experiência!

TAGS
bebês
cólica
criança

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ