Clínica Geral

02/03/2016 01:22 - Atualizado em 23/08/2016 03:06

Zika: Entenda as causas da microcefalia

Estudos ainda buscam estabelecer a relação entre a síndrome e o vírus.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Apesar de o Ministério da Saúde afirmar que o surto de malformação craniana nos bebês está associado ao zika vírus, pesquisadores ainda trabalham em busca de comprovações científicas que expliquem as causas da microcefalia. Estudos realizados a partir de células-tronco podem ajudar a estabelecer essa relação.

Até agora, o que se tem de concreto é que, em alguns testes no líquido amniótico, realizados pelo Instituto Oswaldo Cruz em fetos diagnosticados com microcefalia, foram identificadas amostras da presença do zika.

Outro indício da relação entre o vírus e a síndrome que atinge os bebês veio com uma pesquisa do Instituto Carlos Chagas com a PUC-PR. O estudo confirmou pela primeira vez a capacidade do zika de atravessar a placenta durante a gestação.

mãe segura bebê sem saber causas da microcefalia

Zika e as causas da microcefalia

No entanto, mesmo com esses levantamentos, e com a recente declaração do Ministro da Saúde, Marcelo Castro, de que há 90% de chances de o alto índice de microcefalia ser causado pelo vírus da zika, alguns profissionais preferem ainda manter a cautela.

Essa posição é defendida pelo médico coordenador do Comitê Científico de Doenças Emergentes da Sociedade Brasileira de Infectologia, Rodrigo Angerami:

“Antes de qualquer atestado, é fundamental checar quais outros fatores agem concomitantemente ao zika para causar a microcefalia. Esse é um vírus que existe desde 1954, em humanos, e nunca foi constatada qualquer similaridade com o cenário atual”, completa o especialista.

Angerami destaca ainda que diferentes agentes podem estar associando-se ao vírus para provocar a epidemia. Entre eles estão, por exemplo, a rubéola, a toxoplasmose e a desnutrição grave da gestante, complicações maternas que podem ser causas da microcefalia.

Medidas de precaução às gestantes

A melhor maneira de combater as possíveis causas da microcefalia ligadas ao zika vírus é a prevenção. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda às gestantes que realizem consultas de pré-natal mais frequentes. Também vale a pena prestar atenção nestas dicas:

- Cobrir a pele exposta com mangas compridas, calças e chapéus

- Usar repelentes recomendados pelas autoridades de saúde e seguir as instruções de uso descritas no rótulo

- Tentar se proteger com mosquiteiros ao dormir

- Buscar possíveis focos de criadouros do Aedes aegypti e eliminá-los.

Até o início de fevereiro, o Ministério da Saúde confirmou 270 casos de bebês que nasceram com microcefalia por infecções congênitas - que podem ou não ter sido causadas por algum agente infeccioso como o vírus zika - e 49 mortes. Outros 3.448 casos suspeitos da malformação em recém-nascidos no país ainda permanecem sob investigação.

O que você pensa sobre o assunto? Deixe um comentário e contribua para a troca de ideias! Aproveite e confira também outras dicas de saúde e bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
Aedes aegypti
feto
zika vírus
gestação

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ