Clínica Geral

22/10/2014 09:22 - Atualizado em 02/12/2016 04:53

Veja como entender o que o exame de sangue indica

Exame de sangue oferece diagnóstico complementar à análise clínica e física do paciente.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Quando se tem acesso ao resultado de um exame de sangue, é comum ficar confuso com a quantidade de dados e as diferentes nomenclaturas descritas na análise.

Antes de tentar entender essas informações, no entanto, é preciso compreender a função do exame e como ele ajuda o médico no diagnóstico ou no controle de alguma doença.

exame-de-sangue

Exame de sangue complementa avaliação médica

É importante entender que se trata de um exame complementar, que ajuda na formação do quadro clínico, mas nunca o constrói sozinho. Isso significa que o exame de sangue não pode ser analisado individualmente e tampouco substituir a avaliação médica: o histórico clínico e o exame físico do paciente são fundamentais para compor a análise.

Além disso, cabe explicar que não existe apenas um tipo de análise, mas vários. A amostragem das variações quantitativas e morfológicas dos elementos encontrados no sangue vai depender do que for solicitado pelo médico ao laboratório responsável pela coleta e análise.

Ou seja: se ele estiver interessado em dados a respeito do colesterol, vai receber do laboratório um laudo com dados específicos acerca dos níveis de colesterol e que não conterá informações sobre glicose, por exemplo.

O sangue no corpo humano

O sangue humano é composto por uma quantidade muito grande de substâncias passíveis de serem dosadas ou mensuradas, como proteínas, anticorpos, células, colesterol, hormônios, potássio, sódio, cálcio, magnésio, bactérias e até mesmo vírus, no caso de alguma infecção.

O exame de sangue mais comum e com abordagem mais ampla é o hemograma. O teste reúne uma amostragem das células sanguíneas: os leucócitos, as plaquetas e as hemácias.

Compreendendo o exame de sangue

Tendo como base o hemograma, é preciso entender alguns fatores para interpretá-lo corretamente. Via de regra, valores muito distantes dos números de referência indicados pelo laboratório implicam alguma alteração no funcionamento do organismo:

- Hemácias (glóbulos vermelhos): a principal utilidade dessa amostragem é o diagnóstico de anemia, caracterizada pela redução do número de glóbulos vermelhos no sangue.

Costumeiramente, mulheres apresentam um valor um pouco inferior, devido à perda de sangue na menstruação, enquanto os dados de pessoas fumantes são ligeiramente elevados, em virtude da pior oxigenação do sangue.

- Leucócitos (glóbulos brancos): com esse dado, é possível avaliar a evolução - ou involução - de um processo infeccioso. Os glóbulos brancos são as células de defesa, que concedem imunidade ao organismo e combatem o surgimento de moléstias. A produção desordenada de leucócitos é um indicativo de leucemia.

- Plaquetas: as plaquetas são as células responsáveis pelo processo de coagulação do sangue. Enquanto pacientes com plaquetas muito baixas são mais suscetíveis a sangramentos, pessoas com plaquetas muito elevadas têm mais chance de serem acometidas pela formação de trombos.

Esses trombos provocam a obstrução de veias ou artérias e desencadeiam o infarto, por exemplo. Outro papel importante desse dado consiste na distinção da forma hemorrágica e clássica da dengue.

Doenças específicas exigem exames diferentes

Após o hemograma, os tipos de exame de sangue mais solicitados são:

- VHS: avalia se há inflamação. Pode indicar resfriado, amigdalite e infecção urinária.

- CPK: analisa a função cardíaca do organismo. Pode indicar infarto ou AVC.

- TSH: contém dados sobre a tireóide. A principal aplicação se dá no diagnóstico do hipertireoidismo.

- PCR: também indica se há inflamação, como a apendicite.

- PSA: reúne dados sobre o funcionamento da próstata. Pode diagnosticar o câncer de próstata.

Cada um desses exames trata de disfunções específicas, cabendo ao médico solicitar o tipo adequado para o problema que se pretende investigar. Vale lembrar, também, que a avaliação médica é fundamental para a análise completa do exame de sangue, não podendo ser ignorada em nenhuma hipótese.

E então, ficou por dentro das dicas de saúde? Deixe um comentário! E não esqueça de acompanhar nossa página no Facebook para receber todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
sangue
diagnóstico
prevenção de doenças
exame

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ