Clínica Geral

06/12/2014 02:15 - Atualizado em 15/11/2016 08:44

Vacina da gripe: entenda sua efetividade

Vacina da gripe é oferecida gratuitamente nos postos da rede pública de saúde.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Em temporadas de risco para gripes e resfriados, o Ministério da Saúde busca conscientizar a população da importância de tomar vacina da gripe. Mas dizer que ela previne a contração da doença não é suficiente. É preciso entender como ela é feita, como age no organismo, a real proteção que ela dá ao corpo e quem pode ou não recebê-la.

vacina-da-gripe

Como age a vacina da gripe

A vacina da gripe age no organismo humano como qualquer outra vacina. Feita a partir do próprio vírus, ela entra em contato com o corpo e, automaticamente, inicia-se a criação de uma proteção contra a doença. É que o sistema imunológico humano reconhece o vírus e começa a criar anticorpos para combatê-lo. Assim, quando o vírus entrar no seu corpo novamente, será barrado.

Oferecidade pelo Sistema Único de Saúde em tempos de epidemia, a vacina foi criada no ano de 1993. No ano seguinte, 1994, ela chegou ao Brasil e passou a ser distribuída. Mas isso não significa que a população receba as doses corretamente. Há um alto número de pessoas, integrantes de grupos de riscos que sequer procuram os postos de saúde para receber a vacina da gripe.

É importante ressaltar que a vacina da gripe não protege contra resfriados. Apesar de ambos terem sintomas muito próximos, a gripe é causada por um vírus chamado Influenza e causa dores no corpo, na cabeça, calafrios, congestão nasal, tosse e incômodo na garganta, além da febre. O resfriado é causado por diversos outros vírus e causa apenas os problemas na garganta e no nariz.

Apesar de muitas pessoas dizerem o contrário, a vacina não possui grandes riscos de efeitos colaterais. Um pequeno desconforto pode ser sentido durante dois dias no local onde a vacina foi aplicada. Além disso, pode haver mal estar e um pouco de febre, mas não deve durar mais de três dias. O medicamento só começa a fazer o devido efeito após o 15º dia.

Esses efeitos costumam se dar de modo mais intenso quando as vacinas são feitas com o vírus inteiro. No caso brasileiro, todas as doses são feitas com vírus fracionados ou em subunidades. Reações graves de alergia são muito raras.

Quem não pode tomar vacina da gripe

As reações alérgicas da vacina da gripe costumam se dar, principalmente, em pessoas que possuam intolerância a proteína do ovo. Isso acontece porque o vírus utilizado na produção do medicamento é criado dentro do embrião do ovo de galinha, adquirindo assim partículas da proteína do ovo. Nessas pessoas, podem haver reações anafiláticas, portanto é importante evitar a vacina.

Mas, de modo geral, não há muitos grupos que não devam tomar a vacina. Gestantes e lactentes podem receber a dose normalmente. Inclusive, fazem parte do grupo de risco que tem prioridade no recebimento das doses. Após os 6 meses de idade, os bebês também podem ser vacinados. Para eles a vacina é ainda mais importante, já que a gripe pode ter efeitos colaterais mais intensos.

Idosos, pessoas com problemas respiratórios e profissionais da saúde também fazem parte do grupo de risco. Professores e pessoas que trabalham com atendimento ao público ficam naturalmente mais expostas ao vírus e devem procurar se proteger.

Gostou das dicas? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
doenças
vírus
vacinação

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ