Clínica Geral

20/06/2014 09:00 - Atualizado em 06/06/2016 10:46

Vacina contra dengue é testada em humanos no Brasil

Vacina contra dengue poderá reduzir em 56% a incidência da doença.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A dengue, ameaça recorrente em diversas regiões do Brasil, pode estar com seus dias contados no País. Você sabia que atualmente cinco capitais brasileiras participam de testes humanos para uma vacina contra dengue? Por enquanto, a forma mais consagrada de prevenir a dengue e a transmissão do vírus pelo Aedes aegypti, mosquito transmissor, é eliminar seus criadouros, locais com água parada.

Vacina contra dengue

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

As cinco capitais que já estão testando a vacina contra dengue em humanos são Campo Grande, Fortaleza, Goiânia, Natal e Vitória. Até agora, os dados, computados e analisados em conjunto com informações de outros países da América Latina e da Ásia, mostram que os estudos estão no caminho certo. Ao todo, 10 mil voluntários participam dos testes.

Na Ásia, o laboratório Sanofi Pasteur revelou que a vacina está apresentando eficácia de 56%, mais do que o suficiente para que seja aprovada. Por enquanto, não se encontrou sinal de que o produto não seja seguro à saúde humana.

A dengue é uma doença infecciosa transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Os sintomas dessa enfermidade incluem febre, dor de cabeça, dores musculares e articulares e erupções cutâneas. Há casos em que a doença evolui para um quadro de dengue hemorrágica, que oferece risco de vida ao paciente.

Como funciona a vacina contra dengue

A vacina contra dengue é feita com material do próprio agente causador da doença. Isso acontece com ele em forma atenuada ou morta, especialmente para preparo do sistema imunológico. Após tomar a dose do medicamento, o corpo poderá reconhecer o vírus e criar anticorpos a fim de combatê-lo.

É bom lembrar que a dengue tem quatro tipos de vírus distintos e que provocam os mesmos sintomas, e a vacina terá de ser capaz de preparar o sistema imunológico para todos. Durante a pesquisa, os cientistas trabalharam separadamente com cada uma das variações do vírus.

Estudos anteriores foram descartados porque o agente utilizado provocava uma reação extremamente forte nos pacientes e, assim, acabaram descartados como inseguros para a saúde. Desta vez, se a eficácia se mantiver elevada, a probabilidade é de que a vacina contra dengue esteja no mercado ainda em 2014.

Pesquisa para vacina contra dengue

A pesquisa para a vacina contra dengue envolve voluntários entre 9 e 16 anos de idade que são supervisionados por uma equipe médica durante o tratamento. São ao todo três doses, as quais são aplicadas a cada seis meses. Os pacientes estão sendo observados durante todo o período, e ao menor sinal de febre o caso é relatado aos médicos que fazem parte da pesquisa. A finalidade é detectar a possibilidade das crianças e adolescentes desenvolverem a dengue ou não.

Para que a vacina contra dengue seja considerada eficiente, o número aproximado de casos de dengue entre os pacientes que tiveram aplicadas doses da vacina precisa ser no máximo 30% do número de casos entre os que receberam doses de placebo. 
A porcentagem de 70% de eficácia foi atribuída juntamente com alguns órgãos reguladores como a Organização Mundial de Saúde. Com relação aos voluntários, precisam morar em áreas expostas ao risco de transmissão de dengue, do contrário, será natural que nenhum desenvolva a doença e a pesquisa não terá validade.

Você já ouviu falar de outras pesquisas? Você acha que essa seria realmente eficaz? Conte-nos e deixe seu comentário.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ