Clínica Geral

26/07/2014 05:30 - Atualizado em 03/12/2016 07:44

Usado no tratamento do HIV, efavirenz pode ter efeitos colaterais

Efavirenz é um dos componentes do coquetel de medicamentos para aidéticos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Pacientes portadores do vírus HIV precisam aprender a conviver com uma rotina extremamente rigorosa de medicação. O tratamento evoluiu de tal maneira, que hoje muitas pessoas que têm aids conseguem levar uma vida praticamente normal. E um dos responsáveis por isso é o efavirenz.

O que é o efavirenz

Esse medicamento é um antirretroviral, ou seja, um fármaco usado para tratar um retrovírus - neste caso, o HIV. Ele deve ser sempre administrado em combinação com outros medicamentos para frear o ímpeto do vírus nas células. Adultos tomam o efavirenz em dose diária de 600 mg.


O grande incômodo em consumir diariamente um coquetel de medicamentos é que, apesar de necessários, todos os antirretrovirais apresentam a possibilidade de produzir alguns efeitos colaterais indesejáveis no paciente que os consome.

O efavirenz é em muitos casos bem tolerado, mas em boa parte das situações pode apresentar esses efeitos secundários. A principal recomendação é que mulheres grávidas não devem consumi-lo, pois isso pode acarretar em uma malformação congênita do feto.

Efeitos colaterais do efavirenz

Conheça alguns deles:

Gastrointestinais

Os primeiros incômodos que costumam surgir, logo no início do tratamento, são sintomas gastrointestinais, que podem sumir ou diminuir de intensidade após o primeiro mês de uso. São eles diarreia, vômitos, náuseas, boca seca, azia, prisão de ventre e dor ao engolir.

A melhor maneira de combater esses efeitos colaterais é por meio da alimentação, mantendo o organismo hidratado e um consumo de alimentos equilibrado. Se o paciente sofre de enjoos, recomenda-se que não fique de estômago vazio, fazendo pequenas refeições de três em três horas, sempre evitando alimentos muito gordurosos ou temperados.

Logo ao acordar, deve-se experimentar alimentos secos. Se o problema é diarreia, indica-se beber bastante líquido entre as refeições e comer alimentos muito bem cozidos, evitando excesso de açúcar e doces. 

Lipodistrofia

Outro possível efeito colateral do efavirenz é a lipodistrofia, uma má distribuição de gordura no corpo. É comum entre o paciente soropositivo perder gordura em determinados locais do corpo, como o rosto, glúteos, pernas e braços, ao mesmo tempo em que acumulam em outros, como abdômen, costas, pescoço e mamas.

Nesses casos, o médico pode avaliar se é necessário mudar alguma dosagem, mas geralmente o mais recomendado é atentar para a alimentação e para a prática de exercícios físicos. Em casos mais graves, ainda pode ser recomendada uma cirurgia plástica.

A lipodistrofia merece atenção ainda por poder estar associada a alterações metabólicas, como no colesterol e triglicérides, o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares.

Tais alterações metabólicas também podem contribuir para a resistência à insulina, podendo originar um quadro de diabetes. Esse é um fator de risco para o aumento da pressão arterial, portanto a atenção deve ser redobrada.

Alterações neuropsiquiátricas

Por fim, ainda há a possibilidade de efeitos de ordem psíquica nos pacientes tratados com efavirenz. O medicamento pode desencadear alucinações, amnésia, agitação, ansiedade, depressão, convulsões, confusão mental, dificuldade de concentração, irritabilidade, insônia, fúria e pesadelos.

O médico precisa ser avisado no caso de o paciente consumir álcool ou drogas ilícitas, pois essas substâncias podem potencializar esse tipo de sintoma.

Caso tenha achado o texto interessante, deixe seu comentário e compartilhe sua experiência no nosso fórum.

TAGS
hiv
efeitos colaterais

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ