Clínica Geral

09/07/2014 06:30 - Atualizado em 10/11/2016 07:14

Transtorno impulsivo? Entenda a condição que pode ter motivado mordida de Suárez

Mordida de Suárez em Chiellini chocou os espectadores da Copa do Mundo.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Normalmente, uma Copa do Mundo é eternizada pelos belos gols. Mas a edição brasileira do Mundial, além de se sobressair em bolas na rede, também ficará marcada por um episódio: a mordida de Suárez, do Uruguai, no zagueiro Chiellini, da Itália. Reincidente, o jogador teve seu comportamento analisado por vários peritos de transtornos psiquiátricos. Nos gramados, foi punido com nove jogos de suspensão e quatro meses de afastamento.

O que revela a mordida de Suárez?

A mordida de Suárez fomentou uma discussão sobre o que teria motivado o atleta a proceder daquela maneira. De forma isolada, o ato de morder pessoas não define nenhum transtorno específico. Até porque o jogador, embora já tenha recorrido à tática em outros momentos, não tem registro de agir assim fora de campo.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

De acordo com especialistas, seria impossível realizar um diagnóstico de qualquer tipo de transtorno psiquiátrico ou problema psicológico tomando como base apenas essa atitude. É fato, porém, que o mecanismo da razão, nesse caso, foi sobrepujado por ato possivelmente desencadeado por fatores relacionados ao estresse da partida. O natural, naquele âmbito, seria refrear qualquer instinto de agressão, seja com a boca ou com outra parte do corpo. Presume, assim, que os recursos de autocontrole do uruguaio sucumbiram diante da pressão.

Segundo a opinião de psicólogos veiculada por diversos veículos internacionais, a mordida de Suárez poderia constituir-se de uma “resposta primitiva” a fortes emoções e, até mesmo, consequência tardia de sua infância turbulenta. Muitos dos especialistas dizem que o jogador poderia se beneficiar de tratamento profissional para controlar esse tipo de impulso. O psicólogo do esporte Thomas Fawcett, da Universidade de Salford, na Inglaterra, em entrevista à BBC, afirmou que a atitude tratou-se de uma resposta primitiva em que a emoção precedeu o processo do pensamento.

Transtorno de impulso e a mordida de Suárez

Por mais estranho que pareça o comportamento de Suárez, ele não é necessariamente sinal de uma ação obsessiva. Segundo especialistas, é errado presumir que as pessoas tomam certas atitudes por causa de uma obsessão ou um fetiche. Ou seja, mesmo que o jogador tenha feito isso mais de uma vez, não se pode depreender necessariamente que ele tenha o desejo de morder as pessoas em outros momentos e em outras situações.

Muitas pessoas não lidam bem com situações de estresse e podem até se identificar com o comportamento de Suárez. Não quer dizer que tenham um transtorno de impulso, como foi aventado por alguns profissionais. Nesse caso, o paciente tem o impulso de agir de forma desarrazoada e não consegue se controlar, embora depois possa até se arrepender.

Na área psiquiátrica, o transtorno de impulso é o fracasso na tentativa de resistir a uma tentação de executar um ato perigoso para a própria pessoa ou para os outros. Entre os principais transtornos desse tipo, encontram-se a piromania (impulso de atear fogo) e a cleptomania (impulso de furtar objetos de outras pessoas).

O tratamento deste tipo de distúrbio é realizado com psicoterapia cognitivo-comportamental para ajudar a controlar a raiva. Em alguns casos, são indicadas técnicas de relaxamento, concentração e controle emocional.

Você conhece alguém que possui um tipo de transtorno impulsivo? Você já foi vítima de algum caso parecido? Conte para gente o que você dos sintomas dessas pessoas, e um pouco da sua experiência.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ