Clínica Geral

03/02/2016 12:00 - Atualizado em 08/12/2016 08:02

Tosse de cachorro tem tratamento: Entenda a laringite estridulosa

Também conhecida como crupe, a doença é de origem viral.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Quase todo mundo já teve aquela tosse chata e rouca popularmente chamada de tosse de cachorro. Tem gente até que já passou pela saia justa de perguntar ao telefone se o interlocutor tinha um cachorrinho de estimação e ouvir do outro lado da linha um “não, era eu mesmo”. Acontece. Esse é um sintoma da laringite estridulosa, ou crupe.

homem com tosse de cachorro sendo auscultado

O que é a tosse de cachorro?

A laringite estridulosa é uma inflamação, geralmente de origem viral, que atinge a laringe, a epiglote e a traqueia. Ela afeta geralmente crianças pequenas, de até 3 anos de idade. O sinal mais conhecido da doença é mesmo a tal tosse de cachorro, mais rouca. Casos mais graves - com febre alta, sonolência, chiado e dificuldade para respirar ou para mamar - devem ser levados ao médico.

A laringe é uma estrutura cilíndrica que abriga as pregas vocais abaixo da faringe e logo acima da traqueia. Quando engolimos, o acesso à região se fecha, fazendo com que os alimentos cheguem ao esôfago. Em caso de inflamação, há redução na capacidade de vibrar as pregas vocais, o que causa rouquidão ou perda da voz.

A maior parte das laringites é aguda e dura menos de três semanas. Elas são provocadas por infecções virais que atacam vias áreas superiores e que, em geral, acompanham outros problemas de saúde.

Os principais vírus causadores dessa tosse de cachorro são o Parainfluenza, o Influenza e o Adenovírus. Para tratar o quadro, caso não haja melhora espontânea em cerca de uma semana, é necessário manter uma boa hidratação e fazer inalação com vapor. Durante o período da crise, é importante não fumar, não beber álcool e evitar ambientes enfumaçados e poluídos.

Tratamento para a laringite

Também auxiliam no tratamento gargarejos com água morna e pastilhas, se houver dor de garganta associada. O ideal é evitar falar, mesmo que aos sussurros. Lembre-se, no entanto, de que medicamentos devem ser prescritos pelo médico otorrinolaringologista. Além disso, é sempre importante identificar a causa para que ela não volte a ocorrer.

É comum virem com essa tosse de cachorro, de forma concomitante, gripes, resfriados, faringites, sinusites ou crises alérgicas. Muitos dos problemas estão relacionados ainda ao fumo, ao refluxo gastroesofágico ou ao uso inadequado e excessivo da voz, gerando uma irritação que pode acarretar laringite aguda ou crônica e lesão nas pregas vocais.

Por isso, é sempre importante investigar para que seja tratada a causa, e não apenas o sintoma. É possível que uma tosse rouca acabe fazendo com que você descubra outros problemas de fundo respiratório, como asma, ou ainda algo relacionado ao sistema digestivo.

Qualquer que seja o caso, é necessário buscar o tratamento adequado e específico. Muitas vezes, essa tosse vem e vai embora em determinada época, mas o sintoma pode voltar na próxima estação, ou quando aquele problema escondido detonar novamente.

Tirou suas dúvidas sobre a tosse de cachorro? Deixe um comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
crupe
faringite
inflamação
tosse rouca

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ