Clínica Geral

26/03/2016 02:00 - Atualizado em 06/12/2016 08:18

Tonturas nunca são um bom sinal: Entenda por quê

Sintoma deve ser sempre investigado para que as causas sejam conhecidas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Tonturas frequentes, com aquela sensação de ver o mundo girar, são sintoma de algumas doenças. Quando acompanhadas de enjoo, perda de equilíbrio e zumbido no ouvido, por exemplo, podem ser um indício de labirintite. A doença atinge mais de 30% dos brasileiros, de acordo com a Sociedade Brasileira de Otologia (SBO), e abrange principalmente idosos e mulheres.

Tonturas não são apenas sinal de labirintite

Porém, tenha calma: nem toda tontura é labirintite. Quem explica as outras causas do sintoma é o médico otorrinolaringologista do Hospital Santa Luzia, em Brasília, Dr. Bruno Loredo:

“Essas vertigens podem ser provenientes de alterações nas taxas de colesterol e de glicose. Problemas hormonais, estresse, má alimentação, gripe, rinite e sinusite também ocasionar esse incômodo”, enumera o médico.

mulher com tonturas

Por isso, quando você sentir uma tontura, deve procurar imediatamente um médico. De acordo com o especialista, é a a partir da vertigem que se começa a investigar a doença. “Dependendo das características, já conseguimos definir se é um problema no órgão labirinto ou de outras partes do corpo”, completa.

Para ajudar no diagnóstico, o paciente deve estar atento ao tempo de duração da vertigem e ser o mais detalhista e sincero possível enquanto estiver no consultório. Os momentos em que as tonturas são sentidas também são uma informação importante. Se elas forem mais frequentes ao se levantar, por exemplo, podem indicar pressão baixa.

Agora, se as vertigens acontecem depois das refeições, isso pode ser sinal de uma alimentação incorreta. Por isso, cada detalhe é importante, pois eles ajudam a indicar o melhor tratamento, de acordo com o caso específico.

E se for labirintite?

Para saber se você faz parte dos cerca de 30% de brasileiros que têm labirintite, um exame, que registra graficamente o movimento oscilatório do seu globo ocular relacionando aos órgãos de equilíbrio, irá lhe dar essa resposta.

Segundo Loredo, o teste consiste na realização de diversos estímulos no labirinto, com água gelada, água quente, ar e luzes. Além disso, são colocados alguns eletrodos na musculatura próxima aos olhos. “A partir daí, é possível conseguir verificar o movimento dessa região, em resposta aos estímulos”, explica.

Ao término da bateria, consegue-se diagnosticar qual dos dois labirintos tem mais problemas, se é algo proveniente do sistema nervoso central, dentre outras informações. Nessa hora, você deve estar atento ao tempo de duração da vertigem. Se demorar muito a passar, o caso pode ser mais grave.

No entanto, cabe ressaltar que, independentemente da gravidade, a labirintite e suas tonturas não são nenhum bicho de sete cabeças, pois a doença tem tratamento e cura. Segundo a SBO, mais de 90% das pessoas apresentam melhora parcial ou total depois de começar a tratar o problema.

Você sente tonturas frequentes? Então marque agora mesmo uma consulta médica! Se gostou do artigo, aproveite para compartilhá-lo nas suas redes sociais! E não se esqueça de conferir outras dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
colesterol
vertigem
pressão baixa
labirintite

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ