Clínica Geral

17/10/2014 01:00 - Atualizado em 06/12/2016 03:25

Síndrome metabólica: Entenda a sua relação com o câncer de mama

Manter uma dieta saudável e praticar exercícios físicos regularmente é o melhor tratamento para a síndrome metabólica.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A síndrome metabólica é uma doença que está associada a fatores como má alimentação, obesidade e sedentarismo, condições que podem ocasionar o seu surgimento. Também está relacionada ao aparecimento de problemas cardíacos, diabetes e até do câncer de mama.

sindrome-metabolica

O que é a síndrome metabólica

Essa síndrome é um conjunto de fatores de riscos metabólicos. Uma de suas ações obriga o pâncreas a criar mais insulina, o hormônio responsável pela redução da glicose no sangue.

As principais doenças relacionadas a síndrome metabólica são a diabetes; neoplasias, como o câncer de mama; e doenças do coração, como o acidente vascular cerebral (AVC) e o infarto agudo do miocárdio (IAM).

De acordo com Gilberto Uemura, mastologista membro da Sociedade Brasileira de Mastologistas, mulheres que já trataram o câncer de mama também sofrem com a síndrome. “Isso se deve, em parte, à diminuição da atividade física, associado ao estresse psicológico e físico do tratamento”, explica Uemura.

Os sintomas dessa síndrome não são tão evidentes. Se caracterizam principalmente por serem fatores de risco, que poderão causar e despertar problemas cardíacos.

Diagnóstico da síndrome metabólica

Para saber se você possui a síndrome metabólica, uma série de exames e análises devem ser feitas. Conheça alguns deles:

- Pode-se analisar a obesidade central. Nesse caso deve levar em conta o índice de massa corporal (IMC) ou a circunferência abdominal, que deverá ser de 102, no caso dos homens, e 88 para as mulheres.

- Se em jejum, a glicemia da pessoa varia entre 100 e 125. E caso a pessoa tenha tomado glicose, os valores deverão ser 140 e 200.

- A grande presença da proteína C-reativa (PCR) pode ser um indicativo de que a pessoa possua a síndrome.

- Ácido úrico e triglicérides em níveis altos também podem indicar algum problema.

- Baixa quantidade do colesterol bom (HDL) e alta quantidade do mau colesterol (LDL) também são indícios.

Os principais casos ocorrem em homens com mais de 50 anos. Mas pessoas com 30 a 40 anos também podem sofrer com este mal. E mulheres com ovários policísticos podem apresentar a síndrome mesmo se tiverem um biotipo magro.

Tratamento

Uma dieta saudável, somada a exercícios físicos regulares é a melhor opção para tratar a síndrome metabólica. Caso existam complicações de saúde que impeçam o tratamento de alguma forma, será necessário consultar um médico, que poderá receitar medicamentos.

Uma mudança no estilo de vida será necessária. Através da nova alimentação e das atividades físicas diárias, cerca de 10% do peso deverá ser eliminado, reduzindo, assim, o colesterol e a pressão sanguínea.

Para prevenir a síndrome metabólica, o segredo é trocar o açúcar por adoçante, consumir menos calorias e comer hortaliças, cereais e frutas em grandes quantidades. Outras dicas de alimentação são beber pelo menos dois litros de água por dia e diminuir o sal dos alimentos.

Gostou da matéria? Então deixe um comentário! E não esqueça de acompanhar nossa página no Facebook para receber todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
colesterol
obesidade
câncer de mama
Outubro Rosa

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ