Clínica Geral

10/11/2014 12:08 - Atualizado em 01/12/2016 07:52

Saiba quais são as principais vacinas na gravidez

O Ministério da Saúde recomenda diversas vacinas na gravidez para garantir saúde da mãe e do bebê.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Uma das primeiras perguntas que as mulheres fazem aos obstetras no início do pré-natal é: "Posso tomar vacinas na gravidez?". Pois saiba que, além de poder, as grávidas devem receber algumas vacinas durante a gestação, para prevenir que vírus e bactérias prejudiquem a saúde da mãe e do bebê, antes e depois do parto.

Vacinas na gravidez: As aconselháveis

Há uma série de doenças infecciosas, virais ou bacterianas, que podem causar complicações na gestação. Desde a saúde da mãe até o desenvolvimento do bebê, tudo pode ser afetado por esse micro-organismos que estão espalhados pelo ar. É para evitar que isso aconteça que o Ministério da Saúde indica que as mães tomem vacinas na gravidez e se previnam.

vacinas-na-gravidez

A vacina conjugada da meningite meningocócica, por exemplo, está na lista das doses recomendadas. Por ser uma doença grave, mães que tomaram a vacina há mais de 5 anos ou nunca receberam a dose devem procurar um posto de saúde ao saberem de um caso próximo. A meningite pode causar convulsões, falência renal, danos permanentes ao cérebro e morte, tanto na gestante quanto no feto.

Outra componente da lista de indicações de vacinas na gravidez é contra o vírus Influenza, conhecida como vacina da gripe. Gestantes fazem parte do grupo de risco e, por isso, podem receber as doses de modo gratuito nos postos de saúde. As gripes são mais graves durante a gestação, pois o sistema imunológico enfraquece. O bebê herda os anticorpos da vacina ao nascer.

Hepatite B também se enquadra na lista de medicamentos que devem ser tomados pelas gestantes. A hepatite é conhecida como doença silenciosa e, por isso, muitas mulheres sequer sabem que possuem o vírus. Ele pode evoluir para um câncer no fígado e transmitido para o bebê na hora do parto. O vírus tem 90% mais chances de evoluir para uma doença crônica quando atinge bebês.

De todas as indicações de vacinas na gravidez feitas pelo Ministério da Saúde, a única obrigatória é a bacteriana acelular. A dose tríplice imuniza a gestante contra a difteria, o tétano e a coqueluche. A dupla protege apenas contra difteria e tétano e é a única disponível no Sistema Único de Saúde. O ideal é investir na tríplice, mais completa, que previne contra a coqueluche, uma doença fatal em bebês.

Vacinas na gravidez: As proibidas

Mas não se engane ao pensar que não há restrições ao tomar vacinas na gravidez. Os medicamentos que contém vírus vivos em suas doses não devem ser tomados pelas grávidas, já que os microorganismos podem atacar o bebê e prejudicar o desenvolvimento do feto, que ainda não possui resistência imunológica.

Vacinas como a da rubéola, do sarampo, da caxumba, do HPV e alguns rotavírus devem ser evitadas ao máximo. Além disso, a gestante precisa fazer alguns exames para descobrir se é alérgica a alguma substância que é utilizada na fabricação das vacinas. Reações alérgicas de alta intensidade podem causar fechamento de glote e choque anafilático, colocando em risco a vida da mãe e do filho.

Gosta das nossas matérias de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
gravidez
gestação
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ