Clínica Geral

30/03/2016 08:27 - Atualizado em 26/10/2016 09:34

Previna-se do surto de gripe H1N1

Influenza volta a preocupar e, neste ano, já existem óbitos decorrentes da doença.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Depois do surto de zika vírus, uma doença que já tirou o sono de muitos brasileiros em um passado recente voltou a causar preocupação nacional. É a gripe H1N1. A influenza, neste ano, já deixou cidades como São Paulo em estado de alerta.

Segundo divulgou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, na última segunda-feira (28), a gripe suína já vitimou oito pessoas e existem ainda outros 66 casos confirmados da doença somente na capital paulista. No mesmo período do ano passado, foram contabilizados 12 casos e nenhum óbito.

Em todo o estado, são mais de 150 infectados e 23 mortes por complicações respiratórias provocadas pelo vírus Influenza A. Tratam-se de números similares aos do grande surto do início da década.

médica com vacina contra gripe H1N1

SP antecipa vacinação contra gripe H1N1

Diante do quadro, foi aprovada na última terça-feira (29) a antecipação da campanha de vacinação contra a gripe, que tinha início previsto para 30 de abril. A mudança ocorre na capital paulista e nas cidades da região metropolitana, adiantando o cronograma para o dia 11.

Em nota, o Ministério da Saúde esclareceu que, a partir do dia 1º de abril, inicia o envio da vacina contra a influenza de 2016. A entrega aos municípios, por sua vez, é responsabilidade dos estados.

Nas três primeiras remessas (1º a 15 de abril), os estados receberão 25,6 milhões de doses, que correspondem a 48% do total a ser enviado para a campanha deste ano. Desse montante, serão entregues 5,7 milhões de doses para São Paulo.

A partir do recebimento das vacinas contra a gripe H1N1, os estados podem definir estratégias de contenção, conforme suas análises de risco, para a vacinação da população-alvo, observando a reserva adequada do produto para a campanha nacional. Inicialmente, ela acontece em todo o país do dia 30 de abril ao dia 20 de maio.

No ano passado, a iniciativa imunizou 84,3% do público-alvo, ultrapassando a meta, que era de 80%. Esse total é formado por 49,7 milhões de pessoas consideradas com mais riscos de desenvolver complicações causadas pela doença.

Prevenção e medicamentos contra a H1N1

O Ministério da Saúde reforça, no entanto, que, além da vacinação, a população deve adotar comportamentos preventivos para evitar a infecção por gripe H1N1. Medidas de higiene, como lavar as mãos frequentemente e evitar locais com aglomeração de pessoas, que facilitam a transmissão de doenças respiratórias, são algumas delas.

Além desses cuidados, cabe ressaltar que todos os estados estão abastecidos com o Fosfato de Oseltamivir, popularmente conhecido como Tamiflu, medicamento para tratar a doença. A droga deve ser disponibilizada nas unidades de saúde. De acordo com o MS, é importante que o remédio seja administrado nas primeiras 48 horas após o início dos sintomas.

Que achou da notícia? Deixe um comentário! E aproveite para conferir outras novidades de saúde e bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
gripe suína
vacinação
Influenza A
são paulo

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ