Clínica Geral

22/10/2015 09:00 - Atualizado em 02/12/2016 12:45

Previna-se da micose de praia no próximo verão

Manchas claras e descamativas podem aparecer na face e no pescoço.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A micose de praia é comum no verão porque é na areia que os fungos encontram o ambiente ideal para se reproduzir, com calor e umidade. Esses organismos se alimentam da queratina - encontrada na pele, nas unhas e nos cabelos - e podem causar sintomas nada agradáveis.

Porém, alguns hábitos simples podem evitar o problema. Saiba quais são eles e confira também a melhor maneira de eliminar micoses sem causar prejuízos ao seu organismo.

pés com micose de praia

Tipos de micose

Segundo Valéria Campos, dermatologista e assessora do departamento de Laser da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), os fungos se proliferam em condições ideais: calor, umidade, baixa da imunidade do corpo ou uso de antibióticos sistêmicos por longo período.

Existem diferentes tipos de infecções que podem ser adquiridas na praia ou em outros locais. Conheça algumas variações do problema.

Tínea inguinal

Também conhecida como “micose da virilha”. Ela é marcada por áreas avermelhadas e descamativas com bordas bem limitadas e que coçam. É identificada principalmente nas coxas e nas nádegas.

Pitiríase versicolor

Popularmente chamada de “micose de praia”. Os sintomas são manchas claras e descamativas. Elas atingem principalmente locais como couro cabeludo, face, pescoço e tronco, áreas mais oleosas.

Larva Migrans

Conhecida como "bicho geográfico”. Os parasitas são encontrados nas fezes de cachorros e gatos. Eles formam um desenho sob a pele e são mais comuns em regiões como bumbum e pés.

Tínea do corpo

É a micose corporal. Causa lesões arredondadas que provocam coceira. Elas têm bordas avermelhadas e descamativas.

Tínea dos pés

O "pé de atleta" ocasiona descamação e coceira em toda a planta dos pés. Pode subir também para as laterais, nas regiões onde a pele é mais fina.

Tínea interdigital

É a clássica frieira. Ela causa descamação, pele esbranquiçada, coceira e fissuras. Sapatos sem ventilação são a principal causa do problema, que também pode aparecer nas mãos.

criança e cachorro com micose de praia

Acabe com a micose de praia

Hábitos de higiene são importantes para evitar tanto a micose de praia quanto outras variações. A seguir, veja as recomendações da dermatologista Valéria Campos:

- Deixe de lado os produtos que aumentam a oleosidade da pele

- Em casa ou na praia, evite andar descalço. O cuidado deve ser redobrado em locais úmidos e públicos, como lava-pés, vestiários e saunas

- Não empreste ou use objetos pessoais de outras pessoas

- Seque-se muito bem após o banho, especialmente nas dobras da pele, como axilas, virilhas e dedos do pé. Vale até recorrer ao secador de cabelos

- Jamais vista roupas molhadas por muito tempo. Deixe os mergulhos no mar para a hora de ir embora

- Em todas as suas idas ao salão de beleza, leve o seu próprio kit com alicate, lixa e tesoura. O uso de ferramentas infectadas pode ocasionar lesões

- Não utilize o mesmo sapato por mais de um dia. O mesmo vale para a meia

- Fique de olho na pele e no pelo de seus animais de estimação. Qualquer alteração, como descamação ou falhas, deve ser avaliada pelo veterinário, pois pode indicar a presença de fungos e parasitas

- Evite mexer na terra sem usar luvas

- Escolha roupas soltinhas e leves. Os tecidos sintéticos, principalmente nas roupas de baixo, devem ser evitados. O algodão sempre é a melhor escolha.

Saiba Mais
Evite que a micose de unha estrague o verão do seu filho
Conheça a onicomicose, uma doença comum no verão
Confira 5 dicas para você evitar micoses de pele

Mesmo com essas dicas, às vezes é inevitável ser infectado por alguma micose. Nesses casos, o tratamento será recomendado de acordo com o tipo de infecção. Evite utilizar medicamentos indicados por outras pessoas, pois esses podem mascarar características importantes para o diagnóstico feito pelo dermatologista.

Podem ser utilizados cremes, loções, talcos ou remédios por via oral. Tudo depende da intensidade da situação. A dermatologista alerta que o importante é não deixar de lado o tratamento após a diminuição dos sintomas. Ele pode se estender por até 60 dias. “Não o interrompa assim que terminarem os sintomas, pois o fungo nas camadas mais profundas pode resistir."

Você já teve micose de praia? Foi ao dermatologista, ou recorreu a uma solução caseira? Deixe um comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde e bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
tipos de micose
animais de estimação
fungos
frieira

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ