Clínica Geral

22/03/2015 03:58 - Atualizado em 06/12/2016 08:59

Prevenção da dengue deve começar em casa

A dengue já colocou centenas de municípios em situação de risco de surto. Ajude na prevenção.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O ano de 2015 não começou bem, no que diz respeito à saúde. Mesmo com diversas medidas de prevenção da dengue, o país já somou mais de 224 mil casos da doença. O número marca um aumento de 162% em relação ao mesmo período do ano passado.

O Ministério da Saúde já colocou 340 municípios do Brasil em situação de risco de surto e mais 877 em posição de risco para infecções novas.

Causada pelo mosquito Aedes aegypti, a dengue é uma doença que pode levar ao óbito, se não for tratada rapidamente. Por ser um país de clima subtropical, o Brasil é considerado um proliferador do inseto, que se desenvolve no calor e na umidade. Saiba mais sobre como evitar a disseminação do mosquito e atuar na prevenção da dengue.

prevencao da dengue

Pesquisas visam à prevenção da dengue

O Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) é uma pesquisa que reúne informações sobre a situação da presença do mosquito. Dessa forma, é possível pensar em estratégias de prevenção da dengue. Segundo os dados, que foram obtidos em 1884 cidades voluntárias, Cuiabá é a única capital que corre risco de surto de dengue.

A coleta é feita em diversas localidades do Brasil. Cada município que tem detectado um foco do mosquito a cada 100 prédios fica classificado como “satisfatório”. Aqueles que estão com mais de uma ocorrência, mas menos de 3,9, são categorizados como “alerta”. Por fim, as cidades com mais de 4 incidências são as com risco de surto.

Entre as capitais satisfatórias, estão Brasília, João Pessoa e Teresina. Florianópolis, Curitiba, Rio Branco e Natal não mostraram os resultados.

Já em situação de alerta, se encontram 18 capitais do país: Campo Grande, Goiânia, Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Recife, Porto Velho, Fortaleza, Macapá, Manaus, Maceió, Porto Alegre, Palmas, Salvador, São Paulo, Vitória e São Luís.

Obtidos esses dados, se intensificam as medidas de prevenção da dengue. É importante lembrar que o contágio não se dá pela água, por alimentos, animais ou objetos. Também não se pega a doença de pessoa para pessoa.

A dengue é transmitida exclusivamente pela fêmea do mosquito, que pica uma pessoa infectada e transmite para outra através da picada. Ela ataca principalmente durante o dia.

Como ajudar na prevenção da dengue?

Para auxiliar na prevenção da dengue, cada pessoa pode realizar algumas tarefas em casa. É importante atentar à água parada, mantendo a caixa d’água sempre fechada com tampa adequada. Galhos, folhas e objetos que obstruam a passagem da água em calhas também devem ser removidos.

Não deixe que água da chuva fique acumulada em lajes ou buracos. Feche bem tonéis e barris, caso você os tenha em casa. Também lave semanalmente os tanques de abastecimento. Vasos de plantas aquáticas devem ser limpos toda semana com água e sabão.

Pratinhos que dão suporte aos vasos devem ser preenchidos com areia até a borda para evitar o acúmulo. Garrafas armazenadas em casa devem ser mantidas de cabeça para baixo. O lixo precisa ser colocado em sacos plásticos, em lixeiras bem fechadas. Evite despejar resíduos em terrenos baldios.

Por fim, os pneus velhos devem ser entregues à prefeitura ou a outro órgão responsável por seu cuidado, como o de limpeza urbana. Guarde-os em local fechado, sem água.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
dengue
contágio
Aedes aegypti
surto de dengue

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ