Clínica Geral

16/10/2015 08:13 - Atualizado em 07/12/2016 01:01

Peste negra: Doença da Idade Média volta a preocupar

A peste não é um problema no Brasil, mas exige atenção em países onde é endêmica.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Estima-se que, durante a Idade Média, ela tenha sido a responsável pela morte de pelo menos um terço da população europeia. Mesmo hoje, com os avanços da medicina, a peste negra não parece ter ficado para trás.

Transmitida a seres humanos a partir de pulgas de ratos e de outros roedores, ela ainda é presente em países como Madagascar, Congo, Peru e mesmo nos Estados Unidos, reaparecendo de tempos em tempos.

rato transmite peste negra

Entenda a peste negra hoje em dia

A doença voltou a ser notícia nos últimos dias a partir dos números registrados nos Estados Unidos: em 2015, foram 15 casos, quatro deles fatais, de acordo com dados do Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Mas é a situação de Madagascar que mais preocupa. Segundo divulgou a Organização Mundial da Saúde (OMS) em fevereiro deste ano, 263 pessoas da ilha africana contraíram a doença desde setembro de 2014. Ao todo, foram registradas 71 mortes no período.

Porém, diferentemente do que acontecia no século 14, hoje o tratamento para a peste bubônica, como também é conhecida, existe e é eficiente. O importante é que o diagnóstico seja precoce, ainda na primeira fase da doença.

Peste negra acontece em dois estágios

Como é transmitida a partir de pulgas de roedores, a proliferação da peste negra também está ligada com as condições precárias de higiene e a presença não controlada de ratos.

Em entrevista à BBC, Daniel Epstein, membro da OMS, afirmou que a doença sempre vai estar presente, a não ser que os roedores sejam exterminados. O desafio, então, é encontrar resultados positivos nos testes de vacinas para proteger os animais e cortar as chances de contaminação.

Saiba Mais
Sintomas da febre chicungunha ainda confundem os brasileiros
Entenda o que é o pneumotórax e como tratá-lo
Perda da capacidade respiratória é um dos efeitos do cigarro

Causada pela bactéria Yersinia pestis, a peste negra acontece em dois estágios diferentes: a bubônica, que pode ser tratada com mais facilidade, e a pneumônica, transmissível de uma pessoal para a outra. Segundo a OMS, apenas 8% dos casos progridem para a segunda fase, que pode levar à morte em 24 horas.

Hoje em dia, a dificuldade de identificá-la ainda no começo está ligada aos sintomas iniciais, parecidos com os de uma gripe. Depois de sete dias, é possível perceber a presença de manchas escuras na pele, o que explica a denominação da peste.

Também é comum o surgimento de inchaço nas regiões em que se concentram os gânglios do sistema linfático. Conhecidos antigamente como bubões, eles deram origem ao nome peste bubônica.

E aí, gostou do artigo? Então não perca tempo e compartilhe! Também aproveite para conferir outras dicas de saúde que o Vivo Mais Saudável traz para você.

TAGS
Yersinia pestis
peste bubônica
ratos
pulga

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ