Clínica Geral

19/10/2014 05:13 - Atualizado em 10/11/2016 09:26

Molécula que trata câncer é inovação da ciência

Câncer de pele é o mais beneficiado pela molécula que trata câncer.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A ciência parece ter dado um passo importante no combate de doenças cancerígenas, em especial o câncer de pele: trata-se da descoberta de uma molécula que trata câncer. A inovação foi revelada por um estudo americano que contou com a presença de duas brasileiras, publicado no fim de setembro na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

molecula-que-trata-cancer

Molécula que trata câncer encontrada na Oceania

Liderados pelo professor William Fenical, da Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos, o grupo coletou a molécula que trata câncer em praias da República de Palau, um pequeno país em formato de ilha na Oceania.

Conhecida como seriniquinona, a molécula foi isolada de uma bactéria rara do gênero Serinicoccus. Segundo o estudo, a substância é capaz de reconhecer uma proteína presente principalmente em células cancerígenas: a dermicidina, uma das principais responsáveis pela sobrevivência da célula no organismo.

Dermicidina é o alvo da molécula que trata câncer

Quando a molécula que trata câncer se liga à dermicidina, é capaz de dar origem a um processo de morte celular, contribuindo, dessa forma, no combate ao tumor associado à célula cancerígena.

A principal inovação relacionada à pesquisa é o fato de que a dermicidina, embora seja relativamente conhecida no meio científico, não é muito estudada. Assim, é possível prever avanços, pois o assunto não está esgotado.

A explicação para a molécula que trata câncer ser mais efetiva no combate ao câncer de pele está na maior presença da proteína dermicidina entre as células que compõem a pele. A descoberta dos pesquisadores abre a possibilidade para o desenvolvimento de remédios para tratamento de câncer que tenham como alvo a dermicidina.

Câncer é ocasionado pelo descontrole da divisão celular

Para entender a importância da morte da célula cancerígena, é preciso compreender o processo que origina o câncer. Em seu termo mais genérico, o câncer compreende um conjunto de mais de cem doenças causadas pela proliferação irrefreada de células no organismo. A consequência direta dessa multiplicação é a formação de um tecido anormal ao órgão afetado pelas células, conhecido como tumor.

Várias circunstâncias podem ser responsáveis pelo descontrole da divisão celular, inclusive a predisposição genética, mas a causa mais comum é a exposição a fatores de risco, como o tabagismo, o alcoolismo e radiação solar - uma das principais causas do câncer de pele. A não exposição aos fatores diminui a deformidade da célula e também o risco de necessidade do uso da molécula que trata câncer.

Radioterapia está entre os principais tratamentos

Atualmente, existem cinco principais formas de tratamento contra o câncer:

Cirurgia: é o tratamento mais definitivo, principalmente quando o tumor está em estágio inicial e em condições favoráveis para remoção.

Quimioterapia: consiste em um tratamento que utiliza quimioterápicos, drogas que, quando ingeridas ou injetadas no paciente, destroem as células tumorais.

Radioterapia: é o tratamento mais utilizado para tumores localizados que não podem ser retirados por cirurgia.

Hormonioterapia: tem como objetivo impedir a ação dos hormônios responsáveis pelo crescimento das células cancerígenas.

Terapia alvo: age por meio de drogas que bloqueiam alvos específicos de determinadas proteínas. São medicamentos ministrados geralmente via oral.

Gostou da matéria? Deixe um comentário! E não esqueça de curtir o Vivo Mais Saudável no Facebook para receber dicas e novidades diárias de saúde e bem-estar.

TAGS
câncer
tratamento
pesquisa
cura

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ