Clínica Geral

14/04/2015 02:37 - Atualizado em 02/11/2016 05:03

Mamilo invertido preocupa futuras mamães

Condição atinge 3% da população mundial e pode dificultar a amamentação.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O mamilo invertido é um problema que ocorre tanto em homens quanto em mulheres. Elas são a maioria atingida. Em geral, quem possui essa condição apresenta uma cavidade no bico do seio, ou parece tê-lo dividido em dois.

Para as mulheres, isso pode ser um motivo de constrangimento na hora do sexo, além de uma frustração no momento da amamentação. É que a lactante pode enfrentar dificuldades, infecções ou desconforto. Confira a seguir causas, tratamentos e alternativas para quem possui mamilo invertido.

mamilo invertido

Como identificar o mamilo invertido

O mamilo invertido é definido como uma retração de parte do seio para dentro da mama, e em geral a queixa é estética e associada ao temor de não poder amamentar. Possuir os mamilos invertidos é uma condição bastante frequente, chegando a atingir 3% da população mundial, quase sempre em mulheres e em ambas as mamas.

Os mamilos invertidos se contraem ou se projetam para dentro ao serem estimulados e têm aparência plana, ligeiramente invertida ou bastante invertida no centro. Para saber que tipo de mamilo você possui, faça a forma de um "C" com os dedos na região e suavemente aperte a área da aréola. Se seu mamilo se voltar para dentro e não ficar saliente, ele é invertido.

Pelo fato de estar assim, o mamilo pode acumular secreções, às vezes com odor ruim, e favorecer a multiplicação de germes e infecções mamárias recorrentes.

Quais as causas do mamilo invertido?

A formação congênita é a principal causa da característica invertida, ocasionando uma fraqueza nos ligamentos que sustentam a papila dos seios. Embora sejam mais raras, também podem ocorrer as causas adquiridas em processos inflamatórios e em decorrência do câncer de mama.

O mamilo invertido não possui caráter hereditário e é classificado em graus:

Grau 1: O mamilo fica visível facilmente com a manipulação, ou mais raramente sem o toque. Mantém-se normal após a exteriorização.

Grau 2: O mamilo só aparece quando há manipulação e logo se retrai novamente.

Grau 3: O mamilo fica permanentemente invertido, ou seja, jamais aparece.

A maioria dos casos é classificada como grau 1 ou 2, nos quais a amamentação é prejudicada, mas ainda é possível fazê-la. Já o último grau é mais raro e inviabiliza a amamentação, ou causa muita dor e lesões durante a sucção.

Tratamentos e alternativas

Ao notar o mamilo invertido, a mulher deve procurar um especialista e realizar exame clínico das mamas. O mastologista poderá solicitar exames de imagem como ultrassonografia, mamografia e ressonância magnética em busca de algo que tenha provocado a retração.

Em alguns casos, o corretor de mamilo - uma bomba a vácuo - e exercícios para puxar os mamilos para fora podem ajudar, mas a opção mais indicada é a cirurgia, que devolve o órgão à posição original. Esse procedimento em geral utiliza técnicas simples, anestesia local, ambiente hospitalar e pouca ou nenhuma cicatriz.

Gostou das dicas de saúde? Deixe um comentário! E não esqueça que você sempre pode ficar por dentro das novidades aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
mamilo
mamas
amamentação
cirurgia das mamas

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ