Clínica Geral

19/06/2014 09:00 - Atualizado em 04/12/2016 07:43

Herpes: tipos, sintomas e cuidados

Herpes não é uma doença grave, mas pode promover complicações.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A herpes é causada pelo vírus da família de mesmo nome. É dividida principalmente nas categorias herpes simples tipo 1 e tipo 2, doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Também existe a Herpes Zoster, nome popular da reativação do vírus Varicela-zoster, o mesmo agente da catapora, transmitido por gotículas de saliva.

O que é a herpes

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Na maioria das vezes, herpes não é uma doença grave, mas pode promover complicações. Mulheres que têm infecção nos seus genitais ou canal do parto podem transmiti-la para o bebê – principalmente caso tenham adquirido o vírus durante a gravidez –, o que pode ocasionar um parto prematuro e outras implicações na criança. Com o sistema imunológico combalido, portadores de AIDS que estão passando por sessões de quimioterapia ou tomam doses altas de cortisona podem desenvolver infecções muito graves, as quais abrangem cérebro, olhos, esôfago, pulmão e outros órgãos.

O herpes tipo 1 (HSV-1) costuma se caracterizar como herpes facial, pois se manifesta principalmente na região da boca, nariz e olhos. Por sua vez, o herpes tipo 2 (HSV-2) é conhecido como herpes genital – mais comum nas mulheres do que nos homens –, pois atinge o órgão sexual, ânus e nádegas.

Isso não significa que uma pessoa com herpes facial não possa transmitir o vírus para a genitália do parceiro sexual e vice-versa. A transmissão pode ocorrer durante a penetração, mas também através do sexo oral ou troca de fluidos orais. A principal característica da doença são as lesões na boca e nos lábios, bolhas de erupção bem visíveis na pele. Isso acontece em crises ativas, mas uma pessoa pode transmitir o vírus mesmo quando não há feridas visíveis. É possível até mesmo que alguém seja portador do vírus e nem saiba, caso ele ainda não tenha se manifestado.

Sintomas da herpes

No quadro da herpes facial, aparecem pequenas bolhas preenchidas com líquido claro, vermelhidão e ardor na região do lábio ou parte interna da boca. Nos órgãos sexuais, costumam aparecer na vagina, nos lábios externos da vagina, cérvix e ao redor do ânus, nas mulheres; e no pênis, escroto ou a redor do ânus nos homens. Antes de as bolhas aparecerem a pele pode formigar, coçar e queimar nesse local. Junto às lesões, a pessoa pode sofrer de febre, mal estar, dores musculares e diminuição de apetite. Para diagnosticar o problema, podem ser feitos exames nessas lesões.

Não há vacina nem cura para a herpes, mas o seu médico pode receitar medicamentos de ação enzimática que impedem o vírus de se replicar, como aciclovir, famciclovir e valaciclovir. Eles aliviam a dor e o desconforto, mas costumam fazer mais efeito durante as primeiras crises ativas. Eles podem ter como efeitos colaterais fadiga, dor de cabeça, náusea e vômitos e tremor.

Como evitar a herpes

A melhor maneira de evitar o herpes é a prevenção. Durante o contato sexual, use sempre camisinha, mesmo no sexo oral. Lembre-se que seu parceiro pode nem saber que está infectado e o vírus pode ser transmitido mesmo quando não há lesões aparentes, ou seja, use preservativo toda vez que fizer sexo para não ter chance de contágio.

Você é portador do vírus? Já passou por isso, ou conhece alguém que esta enfrentando esse problema? Conte para gente a sua experiência.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ