Clínica Geral

15/07/2014 05:30 - Atualizado em 30/11/2016 03:17

Guia da psoríase: conheça tipos, sintomas, causas e como tratar

Psoríase é uma doença inflamatória da pele, considerada crônica, mas que não é contagiosa.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Caracterizada por lesões avermelhadas e descamativas, a psoríase é uma doença inflamatória da pele, considerada crônica, mas não contagiosa. Sua manifestação pode se dar em várias áreas do corpo, mas é mais comum aparecer no couro cabelo, nos joelhos e cotovelos.

Causas e fatores de risco da psoríase

A psoríase costuma aparecer, prioritariamente, em indivíduos com menos de 30 anos ou após os 50. Contudo, em cerca de 15% dos casos da doença, ela aparece ainda na infância.

psoríase

Foto: Shutterstock

A psoríase pode ser causada por fatores genéticos. Segundo pesquisas, até 40% dos pacientes têm histórico familiar da doença. Fatores psicológicos, ambientais e mesmo hábitos de vida podem agravar os sintomas.

O estresse, por exemplo, é um problema para o portador de psoríase, pois ele acaba debilitando o sistema imunológico. A obesidade é outro agravante, já que aumenta as chances de desenvolver o tipo invertida. Também é fator complicador da doença o clima frio, que deixa a pele ressacada, ao contrário da exposição solar, que se revela benéfica.

Por fim, o consumo de certos medicamentos, a ingestão de bebidas alcóolicas e o tabagismo são outros dos fatores de risco. O cigarro eleva as chances de desenvolver a doença e também agrava as lesões quando elas se manifestam.

Sintomas da psoríase

A doença possui sintomas característicos, mas que podem variar de paciente para paciente e, também, conforme o tipo de psoríase. De forma geral, contudo, ela apresenta os seguintes sintais:

- Manchas avermelhadas com escamas secas;

- Manchas escalonadas de pequeno porte;

- Pele ressecada e rachada, podendo haver sangramento;

- Coceira, queimação e dor;

- Unhas grossas e com caroços;

- Articulações inchadas e rígidas.

Quando a psoríase é considerada moderada, pode ser registrado desconforto e, em casos mais graves, ela pode ser dolorosa e impactar de forma significativa na qualidade de vida e na autoestima do portador da doença.

Tipos de psoríase

- Psoríase vulgar: gera lesões de tamanhos diferentes, com aspecto avermelhado, que aparecem no couro cabeludo, nos joelhos e cotovelos;

- Psoríase invertida: as lesões são mais úmidas e surgem em áreas de dobras do corpo;

- Psoríase gutata: há lesões pequenas e que têm forma de gotas, aparecendo no tronco, nos braços e nas coxas, sendo mais comuns em crianças e adultos jovens;

- Psoríase eritrodérmica: gera lesões em pelo menos 75% do corpo;

- Psoríase ungueal: as unhas das mãos são afetadas por manchas amareladas;

- Psoríase artropática: surge dor na ponta dos dedos e nas grandes articulações, sendo associada a comprometimento articular em 8% dos casos;

- Psoríase postulosa: as lesões apresentam pus nos pés e nas mãos, podendo também aparecer espalhadas pelo corpo;

- Psoríase palmo-plantar: há fissuras nas palmas das mãos e nas solas dos pés.

Tratamento da psoríase

Apesar de ser uma doença sem cura, a psoríase pode ser tratada, tendo como foco amenizar os sintomas e controlar a sua reincidência.

Em cerca de 80% dos casos, a doença se manifesta de forma leve ou moderada, o que permite o controle com uso de medicação local, hidratação e exposição solar. Banhos de raios ultravioleta em clínicas especializadas podem ser prescritos pelo médico, mas nunca para crianças.

Uma forma de tratamento prevê o uso de pomadas à base de alcatrão. Embora se revelem eficazes no controle da doença, elas têm dois tipos de inconvenientes: o cheiro muito forte e sujam as roupas e lençóis. Já os remédios por via oral só são receitados nos casos mais graves.

E aí, as informações foram úteis ? Gostou do texto ? Deixe seu recado e compartilhe sua experiência!

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ