Clínica Geral

26/06/2015 09:16 - Atualizado em 02/12/2016 09:57

Fototerapia ajuda a amenizar problemas de pele

Com o uso de luzes, a fototerapia ajuda no tratamento de vitiligo, psoríase, manchas e até da acne.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você já ouviu falar em cura através da luz? O sol é uma das maiores fontes de vitaminas para a pele e pode ser eficaz no tratamento de psoríase e vitiligo. Mas além da luz solar, a fototerapia também é uma alternativa para quem sofre com esses problemas.

Bastante popular no Brasil, as terapias com luzes são usadas no tratamento de doenças e problemas de pele. Na fototerapia, é utilizada a luz natural do sol ou iluminação artificial para lançar raios ultravioletas no tecido epitelial. Saiba a seguir como funciona o procedimento e quando recorrer a ele.

fototerapia

O que é a fototerapia?

Manchas da pele, rugas, acne e cicatrizes tem solução com a fototerapia. O termo é genérico e pode ser utilizado para uma variedade de tratamentos que utilizam luz, por meio de diferentes tecnologias, todas elas com o objetivo de dar melhor aparência à pele.

Um procedimento comum é o de fotorrejuvenescimento, que é realizado em idosos para dar um aspecto mais jovem à pele, tratando os danos causados pelo sol.

A maioria das técnicas aplicadas utiliza um espectro de luz visível e infravermelha, que emite ondas de energia para interagir com os componentes da pele. Assim, a pigmentação, a vermelhidão e os vasos capilares são revigorados.

Conforme a luz é absorvida, o calor que se forma destrói as manchas e marcas, renovando as células. Assim, a pele fica mais clara, suave e uniforme. Porém, apenas o dermatologista pode indicar a melhor técnica a ser utilizada e quantas sessões o paciente precisa para obter os resultados.

É comum procurar a fototerapia como um tratamento de prevenção ao envelhecimento precoce. A partir dos 35 anos, os danos do sol já começam a aparecer na forma de pigmentação irregular, queda de cabelo e manchas. Como estimula a renovação das células, a técnica pode retardar o envelhecimento. Além disso, qualquer tipo de pele pode realizar essa terapia de forma segura.

Foco do tratamento com a fototerapia

Pessoas com psoríase são as que mais recorrem à fototerapia para ajudar no tratamento. Essa doença é crônica e aparece em episódios esporádicos, ativada principalmente pelo estresse e ansiedade.

Também é comum tratar o vitiligo com a terapia de luzes, já que esse é um problema que afeta a pigmentação do tecido epitelial. Ambas são combatidas com a luz, que incide diretamente sobre as células prejudicadas.

Essa terapia é considerada de baixo custo, quando comparada a outros procedimentos para tratamento da pele. O corpo também recebe uma renovação de energias, sendo que o procedimento pode ser recomendado para tratamento de ansiedade extrema e da depressão.

Procure sempre recomendações de dermatologistas e médicos responsáveis. Como efeitos colaterais, a terapia com luzes pode causar queimaduras superficiais se não forem utilizadas as configurações corretas para o tipo de pele do paciente.

Mas antes de recorrer aos procedimentos fototerápicos, lembre-se de aproveitar o sol de forma responsável. Use sempre protetor solar e desfrute com segurança dessa fonte gratuita de energias e vitaminas.

Gostou de conhecer sobre a fototerapia e suas aplicações de estética e beleza? Deixe um comentário! E se mantenha sempre por dentro das novidades que encontra aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
pele
rejuvenescimento
doenças de pele
estética

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ