Clínica Geral

09/03/2015 12:40 - Atualizado em 09/12/2016 08:24

Febre e olhos amarelados podem ser sintomas de pedra na vesícula

O consumo excessivo de alimentos gordurosos é uma das principais causas da pedra na vesícula.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Também conhecida como cálculo biliar, a pedra na vesícula pode não apresentar sintomas por um bom tempo, mas também pode causar dores abdominais intensas e outros incômodos. Uma das principais causas do problema é a alimentação rica em gorduras, mas existem tratamentos e cuidados que evitam complicações à saúde.

pedra na vesicula

Causas e sintomas de pedra na vesícula

A vesícula biliar é uma pequena bolsa localizada logo abaixo do fígado, que tem como principal função armazenar a bile, líquido produzido pelo próprio fígado e que auxilia na digestão de gorduras da alimentação.

Quando se formam pedras dentro da vesícula, dá-se o nome de colelitíase, que pode não manifestar sintomas em alguns casos, mas também pode provocar intensa dor abdominal, se um dos canais biliares entupir e causar inflamação.

As pedras se desenvolvem quando ocorre um desequilíbrio entre a quantidade de água e as substâncias presentes na bile. Se a água retirada for excessiva ou a quantidade de substâncias como colesterol e pigmentos estiver elevada, pode surgir a pedra na vesícula. Por isso, o consumo de alimentos gordurosos deve ser evitado.

O problema é mais comum em mulheres acima dos 40 anos de idade. A obesidade e o histórico familiar são fatores de risco para a pedra na vesícula. Outros fatores que contribuem são diabetes, cirrose, sedentarismo, rápida perda de peso e alguns medicamentos, como anticoncepcionais e fibratos.

O principal sintoma é a dor súbita e intensa do lado direito do abdômen, que dura até cinco horas. Outros sinais que podem aparecer são febre acima de 38ºC com calafrios, pele e olhos amarelados, diarreia, dor que irradia para as costas, enjoos, vômitos e perda de apetite.

Cuidados e tratamentos para pedra na vesícula

O tratamento adequado para pedra na vesícula varia de acordo com a gravidade do problema, e deve ser sempre orientado por um gastroenterologista. O profissional avalia as causas, o tamanho das pedras e o estado do paciente para indicar a melhor forma de recuperação para cada caso.

No caso de pedras ainda pequenas e que não causem sintomas, é comum o tratamento com medicação. Já para as pedras maiores, que estejam bloqueando os canais biliares e causando sintomas, é indicada a cirurgia para remoção da vesícula biliar.

Outra opção para tratar a pedra na vesícula são as ondas de choque, que destroem as pedras e facilitam a eliminação pelo organismo. Esse tratamento alternativo é menos invasivo e é indicado para pessoas que não possam ser operadas, devendo ser utilizado juntamente com medicamentos.

O único problema dos tratamentos não cirúrgicos é a grande probabilidade de recorrência das pedras. Mais de 50% dos pacientes voltam a apresentar o problema em um intervalo de cinco anos após o primeiro caso.

Além dos tratamentos, alguns cuidados com a alimentação são fundamentais. O paciente deve evitar o consumo de gorduras, como frituras ou embutidos, para prevenir que os níveis de colesterol no sangue não aumentem. É indicado optar sempre por refeições com legumes, frutas, vegetais e grãos diariamente.

Gostou das dicas de saúde? Conte para nós! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
fígado
vesícula
cálculo biliar
gordura

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ