Clínica Geral

09/06/2014 09:00 - Atualizado em 04/12/2016 08:28

Ex-seleção Marinho Chagas foi vítima de hemorragia digestiva. Entenda

Hemorragia digestiva é caracterizada pela perda de sangue por órgão do sistema digestivo.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Brasil x Polônia - Munique 1974 (CC-BY-SA-3.0-de)Marinho Chagas, lateral-esquerdo da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1974, faleceu no dia 1º de junho, aos 62 anos, vítima de uma hemorragia digestiva. O ex-atleta, natural de Natal, no Rio Grande do Norte, com passagem marcante pelo Botafogo, tinha um histórico médico que incluía doenças agravadas pelo consumo de bebidas alcoolicas.

O que é a hemorragia digestiva

Marinho estava internado desde o dia anterior no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, na Paraíba, aonde chegou vomitando sangue, problema que logo foi diagnosticado como consequência da hemorragia digestiva.

A hemorragia digestiva, que também pode ser chamada de sangramento digestivo, hemorragia gastrointestinal ou hematêmese, não é uma doença, e sim o sintoma de alguma enfermidade. Ela é caracterizada pela perda de sangue através de qualquer órgão do sistema digestivo, como esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso ou canal anal.

Como é apenas um indicativo de uma doença, sua origem pode ser desde uma patologia sem muita gravidade até uma enfermidade grave, que pode levar a pessoa ao óbito. A hemorragia digestiva pode ser classificada como alta, quando atinge a parte superior do trato gastrointestinal, e baixa, quando atinge a parte inferior.

Sintomas e diagnóstico da hemorragia digestiva

Foto: Shutterstock

Os principais sintomas que indicam a hemorragia digestiva são a presença de sangue no vômito, como no caso de Marinho Chagas, e alteração das características das fezes (se estão mais pegajosas, escuras ou com um cheiro mais forte do que o normal). Quanto mais vivo o sangue expelido pelas fezes, mais provável que a hemorragia seja advinda dos órgãos finais do sistema digestivo, como intestino delgado, cólon ou ânus.

Perdas de pequenas quantidades de sangue podem ser percebidas apenas por exames de sangue ou de fezes, indicando enfermidade como anemia por carência de ferro. Trata-se de um bom exemplo da importância da revisão médica periódica. Também podem ser sintomas a tontura, desmaios e suor frio.

De qualquer maneira, percebendo um desses sintomas, é fundamental procurar um médico. Exames podem ser aplicados para descobrir a origem da hemorragia, como endoscopia digestiva alta, tomografia computadorizada, angiografia, colonoscopia e enteroscopia. Assim, é possível descobrir a localização mais provável e gravidade clínica da hemorragia, para assim reconhecer as suas causas.

Causas da hemorragia digestiva

Os exames médicos têm condições de determinar a origem da hemorragia digestiva, que pode ser provocada por enfermidades leves, como hemorroidas, fissuras do ânus, malformações vasculares ou varizes, até condições mais graves. Estas podem ser úlcera péptica, varizes, esofagite, síndrome de Mallory-Weiss, erosões gástrica e duodenal, câncer em algum órgão digestivo, pólipo intestinal, doença de Crohn, diverticulose ou perfuração do esôfago, estômago ou duodeno.

Tratamento da hemorragia digestiva

O tratamento para a hemorragia digestiva varia de acordo com a doença diagnosticada após os exames. Pode incluir o uso de medicamentos antiácidos, soro fisiológico na veia, tratamento por endoscopia e, em caso de anemia severa, transfusão de sangue. Em situações mais graves, pode ser necessária a realização de uma cirurgia. Nesses casos, poderá haver internamento em Unidade de Terapia Intensiva. Por esses motivos, as consequências de uma hemorragia intestinal podem ser quase nulas ou até mesmo o óbito, como no caso de Marinho Chagas.

Quem foi Marinho Chagas

Marinho nasceu em Natal, no Rio Grande do Norte, em 8 de fevereiro de 1952, e se destacou principalmente jogando pelo Botafogo, time que defendia quando foi convocado para a seleção brasileira. É considerado um dos grandes nomes da lateral-esquerda, ao lado de craques como Nílton Santos.

Para conservar a saúde é importante ficar sempre atento à qualquer alteração do nosso organismo, pois quanto mais rápido o diagnóstico, maior a possibilidade de cura, não é mesmo?

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ