Clínica Geral

05/08/2014 09:00 - Atualizado em 08/12/2016 07:11

Evolução no diagnóstico do infarto reduz índices de mortalidade

Novas tecnologias ajudam no diagnóstico do infarto e evitam ataques cardíacos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Uma nova tecnologia na prevenção de doenças cardíacas permite que o diagnóstico do infarto seja feito logo cedo. Historicamente, as pessoas sabem que vão infartar apenas quando já é tarde demais. Mas, com o novo aparelho, a realidade muda de figura e traz consigo uma esperança no tratamento de uma das doenças que mais mata no Brasil.

diagnóstico do infarto
Novos exames ajudam no diagnóstico do infarto. Foto: Shutterstock

O infarto

Muita gente acredita que o câncer e a Aids são as doenças que mais tiram vidas no Brasil, mas esse posto pertence às doenças cardíacas. O infarto, também conhecido por ataque cardíaco, é um dos principais temores nesse conjunto de doenças. Porém, felizmente a tecnologia tem permitido que os médicos façam o diagnóstico do infarto antes dele de tornar crítico.

Quando o acúmulo de gordura nas artérias impede que o sangue chegue até o miocárdio, ocorre o infarto. Esse bloqueio nas artérias impede que o coração receba o sangue, oxigênio e outros nutrientes.

Principais sintomas

O infarto causa uma série de sintomas. Os efeitos variam de pessoa para pessoa. Pode ocorrer de alguém sentir todos os efeitos, e outra sentir apenas um. E assim como os efeitos podem variar, as suas intensidades também não seguem nenhum padrão, podendo ser fracas, moderadas ou fortes.

Confira os sintomas:

diagnóstico do infartoSintomas para o diagnóstico do infarto. Arte sobre foto: Shutterstock

O ataque cardíaco não tem momento ou período para acontecer. Pode ser súbito ou levar horas ou mesmo dias para ocorrer. Por isso, é importante que entre em contato com o médico para realizar o diagnóstico do infarto assim que perceber os sintomas.

Preste atenção aos sinais mais comuns: suor excessivo, náuseas, vômitos, tonturas, ansiedade e agitação, dor no peito, sensação de queimação no peito, dificuldades para respirar, vertigem e sono.

O diagnóstico do infarto

Durante muito tempo, o exame para realizar o diagnóstico do infarto foi o eletrocardiograma. Porém esse exame apenas detecta a doença caso ela já tenha obstruído cerca de 70% da artéria. Ou seja, você só sabe que está com infarto quando praticamente já não tem mais volta.

Com o avanço da tecnologia, hoje a angiotomografia consegue identificar situações em que a artéria está apenas 5% obstruída. Isso permite que  o paciente tenha tempo para mudar os seus hábitos alimentares e físicos e não tenha o diagnóstico do infarto apenas "em cima da hora".

Nova tecnologia para o diagnóstico do infarto

Com o aparelho de tomografia computadorizada, o médico consegue, dentre várias coisas, visualizar a artéria em uma imagem 3D. A técnica envolve o uso de um tomógrafo (responsável pelo raio X) com um eletrocardiograma. O exame é feito em segundos e, através dele, o médico pode diagnosticar e prevenir outras doenças cardíacas no paciente. Infelizmente, a angiotomografia não é um dos exames que faz parte no Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil.

A partir de agora, se você sentir algum dos sintomas citados acima, procure imediatamente o seu médico. E, se possível, mantenha uma alimentação balanceada e pratique exercícios físicos regularmente. Se mesmo assim, achar preciso, já sabe que a melhor opção é fazer o exame da angiotomografia.

Leia também:

Ingestão de bebidas alcoolicas agride o coração

Abacate faz bem ao coração e é aliado da saúde

Barulhos demais podem causar doença cardíaca

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ