Clínica Geral

13/11/2014 12:12 - Atualizado em 28/11/2016 07:24

Entenda os impactos da baixa umidade do ar no organismo

Baixa umidade do ar pode resultar em ressecamento da pele e irritação nos olhos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A baixa umidade do ar é bem comum no período entre o final do inverno e o início da primavera, mas pode ser registrada também em outras épocas do ano, principalmente nos estados onde chove menos. Ela significa a redução da quantidade de líquido vaporizado presente na atmosfera em relação ao pico que ela poderia atingir.

Efeitos da baixa umidade do ar

Para a Organização Mundial da Saúde, os índices ideais de umidade relativa do ar ficam entre 50% e 80%, podendo-se classificar como baixa umidade do ar quando baixam de 30%. No Brasil, as regiões que mais registram dias de clima tão seco são o Centro-Oeste e o Sudeste.

baixa-umidade-do-ar

Com a baixa umidade do ar, aumenta em até 50% a procura por atendimento médico de pessoas relatando indisposição, secura dos olhos, do nariz, da garganta e da pele. As mucosas são as partes do corpo que mais sofrem os efeitos da baixa umidade do ar, apresentando um quadro ainda pior nas pessoas que têm algum tipo de alergia ou doença crônica, como a rinite, a bronquite e a asma.

Como lidar com a baixa umidade do ar

Como esse clima favorece a acumulação de poluentes nas superfícies, impedindo-os de se dispersar na atmosfera, é muito comum a sensação de secura e inflamação nos olhos e nos órgãos do sistema respiratório. E até mesmo o coração pode ter as funções prejudicadas com o tempo mais seco. O sangue tende a ficar mais denso, dificultando a circulação e aumentando os riscos de infartos e acidentes vasculares cerebrais.

Além disso, é mais difícil manter a imunidade natural do corpo com a baixa umidade do ar. Com as mucosas debilitadas, o organismo precisa trabalhar muito mais para filtrar as substâncias inspiradas durante o dia, o que pode beneficiar a entrada de diversas substâncias nocivas ao corpo, trazendo ainda uma sensação elevada de cansaço.

Crianças e idosos são os mais afetados com esses efeitos, já que sua imunidade costuma ser um pouco mais baixa do que a dos jovens e adultos. Por isso, a saúde deles precisa de atenção especial nos dias mais secos.

Cuidados básicos

As medidas que se pode tomar para evitar sofrer tanto com os efeitos da baixa umidade do ar são simples, porém costumam ser bem eficazes:

- Cuidar da alimentação buscando ingerir comidas mais leves e saudáveis, sem exagerar no sal, e, é claro, bebendo bastante líquido.

- Sucos de frutas e isotônicos são os mais recomendados, por não serem diuréticos como os refrigerantes e chás e ainda reporem algumas vitaminas e minerais perdidos com o clima seco.

- Umidificar o ambiente com recipientes cheios de água ou ainda espalhar toalhas molhadas pelos cômodos, principalmente à noite, costuma aliviar bastante as vias aéreas.

- Uma boa opção, especialmente para quem precisa passar grandes períodos ao ar livre, é lavar o nariz e os olhos com soro fisiológico.

- Recomenda-se também evitar exercícios físicos nos horários mais críticos, compreendidos entre 10h e 17h, além de proteger a pele com filtro solar e hidratantes, impedindo assim a perda excessiva de líquido.

Gosta das nossas dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
clima
pele
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ