Clínica Geral

08/11/2014 01:00 - Atualizado em 04/12/2016 09:33

Entenda a relação entre diabetes e queda de cabelo

Possível sintoma da diabetes, queda de cabelo afeta autoestima do indivíduo.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Muitos portadores de diabetes também acabam sofrendo perda capilar. O problema não é considerado grave em termos orgânicos, mas fere a autoestima do paciente, às vezes já debilitado pela doença ou seu tratamento. Além disso, diabéticos são mais propensos à depressão, à ansiedade e a crises de melancolia, que tendem a agravar-se com o surgimento de um sintoma externo como a queda dos cabelos.

Relação entre diabetes e queda de cabelo

O processo pode ocorrer devido a diversas outras doenças, inclusive específicas do couro cabeludo, e nem sempre envolve o descontrole glicêmico. A calvície, por exemplo, um problema quase exclusivamente masculino, tem causas independentes, mais ligadas à hereditariedade. Da mesma forma, nem todos os diabéticos correm o risco de ficar carecas. O fato, porém, é que há uma estreita ligação entre diabetes e queda de cabelo, principalmente quando se trata de pacientes femininas, mais suscetíveis a desequilíbrio hormonal.

diabetes-e-queda-de-cabelo

Na maioria dos casos, os primeiros sintomas do diabetes e a queda de cabelo iniciam juntos, mas raramente a perda é detectada, porque é natural que 10% de nossos fios se mantenham em rotatividade. Em condições normais, há uma substituição automática e constante dos fios velhos, cujo limite de crescimento já foi alcançado, por novos, que pasam a ocupar os mesmos buracos (folículos pilosos).

Como um ciclo capilar pode durar até 6 anos, muitas vezes a não-reposição passa despercebida até que o déficit entre queda e renascimento se torne gritante. Contudo, por tratar-se de uma doença hormonal, que interfere também no sistema circulatório, o diabetes pode desregular esse ciclo, fazendo com o que fio 'envelheça' e morra bem antes, por deficiência nutricional.

Fatores

Diabéticos são mais propensos a todo tipo de infecção, inclusive as que atingem o couro cabeludo, por isso sua predisposição a perder cabelo é muito superior à de pessoas com glicemia normal. Sofrem ainda de má circulação, fornecendo à superfície capilar um fluido pobre em nutrientes; essa circunstância pode conduzir os fios à morte prematura, por “inanição”.

Precisam também ser considerados os fatores psicológicos, a exemplo da pressão de lidar com a própria doença e o medo quanto ao futuro. Eles podem gerar ou agravar um quadro de estresse, outro reconhecido agente causal de queda capilar.

Essa ansiedade, somada à desidratação, componentes químicos de medicamentos e à baixa imunidade, pode interferir no metabolismo capilar, retardando o crescimento e a renovação dos fios. Há estudos, inclusive, que relacionam efeitos colaterais de remédios para diabetes e queda de cabelo. Nesse caso, talvez seu médico possa auxiliar, indicando alternativas terapêuticas.

Prevenção e tratamento

Quando a perda de fios ocorre por desequilíbrio glicêmico, não há como prevenir ou combater isoladamente um dos problemas, ambos estão interligados. O único modo é atacar diabetes e queda de cabelo simultaneamente, através de controle da taxa de glicose.

Diagnosticar a doença, seu estágio de evolução e outros sintomas é o primeiro passo. No caso de diabetes tipo 1, será necessário adotar dosagens diárias de insulina, além de reforma radical nos hábitos alimentares e rotina de atividades físicas. Se ele for do tipo 2, mais brando, talvez não sejam necessárias as aplicações do hormônio, mas os demais procedimentos são idênticos. A tendência é que, conforme a glicemia comece a se estabilizar, a perda de cabelo também cesse.

Caso isso não ocorra, existem diversas opções de tônicos capilares no mercado, que podem contribuir para o restabelecimento dos fios. No entanto, é preciso que você primeiro consulte seu endocrinologista, para certificar-se da inexistência de conflitos entre os fármacos ou riscos ao seu tratamento prioritário, que é o controle glicêmico.

Vale lembrar que a saúde capilar é afetada por tudo o que fazemos e consumimos. Por isso, o combate deve visar ao fator que alimenta diabetes e queda de cabelos simultaneamente: descontrole glicêmico.

Agora que você já sabe mais sobre a doença, que tal viver melhor com alguns cuidados em relação ao diabetes? Não esqueça de deixar um comentário e acompanhar nossa página no Facebook para receber todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
cabelos
beleza
saúde
diabetes

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ