Clínica Geral

01/09/2015 01:20 - Atualizado em 03/12/2016 08:56

Entenda a influência da Neuropatia Diabética no cérebro

Estudo comprova que pacientes com neuropatia diabética apresentam um volume menor de uma região do cérebro, responsável por processar sensações e dores.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Estudo realizado por cientistas na Universidade de Sheffield, na Inglaterra, e publicado na Revista Diabetes Care, mostrou que pacientes com neuropatia diabética apresentam um volume menor de uma região do cérebro, responsável por processar sensações e dores.


Mas o que é neuropatia diabética? Quais são os sintomas e como pode ser prevenida? Qual é o avanço deste estudo?

Segundo Dra. Denise Ludovico, endocrinologista, a neuropatia pode influenciar a saúde, uma vez que pode alterar os nervos em todo o corpo, além de ocorrer frequentemente na extremidade dos nervos mais longos como nas pernas e braços. Também pode ocorrer no tórax, face e regiões genitais, além dos nervos que ajudam o corpo a controlar os órgãos vitais, como coração, bexiga, estômago e intestinos (denominado neuropatia autonômica)”.

“O acometimento desses nervos pode alterar a sensibilidade e o funcionamento desses órgãos, como: perda da sensibilidade nos braços e pernas (é possível não notar quando se pisa em algo afiado, bolha, pequeno corte ou quando se toca em algo muito quente ou muito frio); e danos aos nervos do coração e vasos sanguíneos: hipotensão ortostática (leve tontura ao ficar de pé), frequência cardíaca acelerada, não notar uma angina, dor no peito em casos de doença cardíaca ou um ataque cardíaco”, detalha Dra. Denise.

Os sintomas podem se desenvolver ao longo dos anos e dependem dos nervos afetados. “Os mais frequentes são as dores (queimação) e formigamento em ambos os pés e ocasionalmente também nas mãos. Sintomas neurovegetativos também podem estar presentes como hipotensão postural (queda repentina da pressão arterial ao levantar, tonturas), impotência sexual, disfunção de transpiração e até mau funcionamento da mobilidade do estômago (gastroparesia), ocasionando sensação prolongada de repleção abdominal, ou seja, saciedade precoce”, completa a médica. 

Os tratamentos consistem de controle da glicemia e de uma série de medicamentos, que são usados para diminuir os sintomas dolorosos nos pés, pernas e braços, além de outros citados anteriormente.

Voltando ao estudo, a descoberta mostra que a neuropatia é relacionada a danos no cérebro, fato este nunca analisado anteriormente. Assim, quando os participantes da pesquisa se submeteram à ressonância magnética, os cientistas perceberam que as pessoas com diabetes com neuropatia têm o tamanho menor da região de células cinzentas, afetando o cérebro.

A partir desta descoberta, os estudos serão concentrados em que momento o cérebro começa a ser influenciado pela neuropatia e impedir que isso ocorra, prevenindo a doença ou tendo um diagnóstico mais precoce da condição. É só uma questão de tempo para diminuir os efeitos dessa complicação!

TAGS
neuropatia diabética
cérebro
doença cardíaca

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ