Clínica Geral

05/06/2015 04:32 - Atualizado em 29/12/2016 08:38

Disfagia: Entenda o que causa a dificuldade para engolir

Tratamento da disfagia depende de sua origem e pode evitar desenvolvimento de tumores.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Quando os alimentos não passam pela garganta sem provocar dor, pode ser um caso de disfagia, um problema relacionado à dificuldade para engolir. Geralmente, ele acontece quando a comida é obstruída na orofaringe ou pelo esôfago. Outras causas possíveis são doenças neurológicas ou musculares, que provocam o deslocamento dos alimentos por canais errados.

A disfagia pode ser o sintoma inicial de doenças graves, inclusive neurológicas. Um dos problemas mais associados a ela é o tumor no esôfago, que acaba desenvolvendo câncer. A sensação de dificuldade para engolir que acompanha esse transtorno varia em cada paciente, levando à confusão no momento do diagnóstico.

O que causa a disfagia?

Existem diversas causas que levam à disfagia. Uma das mais recorrentes é aquela que aparece em função de transtornos na orofaringe. Nesses casos, as pessoas não conseguem começar o processo de deglutição, sentindo dores na região do pescoço.

disfagia

Outros sintomas, como o excesso de saliva, derramamento do alimento, rouquidão, engasgos, tosse ao comer e dificuldade na fala também aparecem. Quando é originário na região orofaríngea, esse problema também pode levar à aspiração de alimentos, aumentando os riscos de infecções no pulmão.

Uma manifestação diferente da disfagia ocorre quando ela tem origem no esôfago. Em vez de ter dificuldade para engolir a comida no momento da deglutição, a pessoa apresenta sensação de que o alimento está trancado, segundos depois de ter engolido. Nessa situação, o peito é o local que apresenta dores e até mesmo sufocamento.

Os casos que se originam na região esofágica precisam ser analisados individualmente, já que existem diferenças na condição de cada paciente. Se a pessoa apresenta problemas para engolir tanto líquidos quanto sólidos, então é provável que esteja ocorrendo uma desregulação da motilidade do órgão.

Por outro lado, se o problema ocorre apenas com alimentos sólidos ou teve início com as comidas menos líquidas, então a probabilidade é que a pessoa apresente uma obstrução em desenvolvimento, a exemplo de tumores ou outras anomalias do organismo.

Vômito com sangue, azia, anemia, perda de peso e regurgitação são sinais que devem ser avaliados, uma vez que ajudam no diagnóstico e a descobrir as causas do problema.

Tratando a disfagia

Assim que sejam percebidos sinais do transtorno, principalmente a dificuldade para engolir, é fundamental procurar um gastroenterologista, médico responsável pelos cuidados com o estômago e o esôfago.

Caso a origem seja orofaríngea, pode ser necessária também uma consulta ao otorrinolaringologista para completar o diagnóstico de forma mais precisa.

O exame principal para detectar a disfagia é a endoscopia digestiva, que pode encontrar as diferentes causas do transtorno, inclusive a presença de anéis, corpos estranhos, membranas, divertículos, esofagite e tumores.

Exames de esofagografia com bário e manometria esofágica podem ser necessários, também, oferecendo mais detalhes sobre a condição do paciente.

Para tratar o problema, é necessário descobrir a causa exata dele. O médico recomenda os remédios ou procedimentos do tratamento de acordo com histórico de doenças, tumores, refluxo e sintomas do paciente.

Uma das recomendações médicas mais frequentes é a adaptação do cardápio, que deve incluir alimentos triturados e líquidos para facilitar o processo de deglutição.

Gostou das dicas? Então deixe um comentário! E não esqueça que você sempre encontra novidades de saúde e bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
dor
garganta
alimentação
esôfago

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ